Loja Longchamp - Foto: Divulgação
Loja Longchamp – Foto: Divulgação

Por Armando Palha

Às vezes, um simples endereço já diz tudo. Com uma recém-inaugurada flagship na Avenue des Champs-Élysées, em Paris, a Longchamp marca, definitivamente, um importante momento em sua história de 66 anos. São pouco mais de 500 m2,com seus famosos acessórios e prêt-à-porter. “É nossa maior loja na Europa”, disse o CEO, Jean Cassegrain, durante a inauguração, ao lado de convidados como Kate Moss, Lenny Kravitz, Audrey Tautou e Alexa Chung, garota-propaganda da grife.“Acreditamos que será a número 1, desbancando o atual posto da localizada na Rue Saint-Honoré.”

Em 2014, outras cinco megalojas foram inauguradas: duas em Londres e uma em Barcelona, Roma e Munique. O ano, aliás, se provou de forte crescimento: 8%, o dobro do registrado em 2013. Para 2015, esperam-se inaugurações também na África do Sul, Peru, Camboja, Paraguai e Canadá, consolidando a já boa presença global da marca. Além de novas colaborações com artistas plásticos e estilistas. Dados impressionantes para uma empresa que segue sob administração familiar.

Alexa Chung em campanha da marca - Foto: Divulgação
Alexa Chung em campanha da marca – Foto: Divulgação

O motivo para tanto sucesso? “Criamos para uma mulher com estilo de vida ativo, que gosta de moda sem ser fashion victim, ousa, mas permanece chique e confia em si mesma”, opina a diretora de criação, Sophie Delafontaine, em entrevista à Bazaar. Mas, talvez, a real chave do sucesso tenha a ver com a equação que envolve praticidade, materiais de alta qualidade e savoir-faire artesanal. É que esse tipo de savoir-faire está em extinção. Devido a pressões econômicas por maior margem de lucro e menor custo de produção, tradições artesanais estão em desuso. Ao mesmo tempo, cresce a demanda por produtos realmente especiais e que empreguem valores mais humanos em sua produção. As poucas marcas que ainda se encaixam nessa categoria, então, são como oásis de luxo num mundo de produção em massa.

“Leva mais de quatro horas para produzir uma bolsa Le Pliage Heritage”, anuncia David Burgel, diretor industrial da marca, durante visita à fábrica da Longchamp, em Segré, no oeste da França. “O processo de montagem depende do esforço de várias artesãs que se dividem em etapas como de costurar, lixar as bordas e pintar – tudo à mão”, continua ele sobre a produção da famosa bolsa, que completa 20 anos de existência. Em comemoração, um novo modelo, feito com diferentes tipos de couro natural e exclusivos, atualiza o visual do best seller, que já vendeu mais de 32 milhões de unidades.

Loja Longchamp - Foto: Divulgação
Loja Longchamp – Foto: Divulgação