Com Carol Trentini de abre-alas – diretamente chegada do Pre-Fall da Givenchy, apresentado por ela a Anna Wintour a pedido de Riccardo Tisci – o Cantão desabrocha e libera do casulo um inverno confortável, de formas assimétricas e pegada esportiva handmade.

Lã texturizada, gazes de linho e algodão bem fininhas, tricôs de seda e até um pouco de couro dão forma a um sem número de vestidos, de mangas longas e shape arredondado, espertamente combinados com as ótimas botas cheias de amarrações. Bem street.

Destaque também para os maxipulls coloridos, desabados em patchwork de tramas e texturas, como no híbrido de vestido e macaquinho de Daiane Conterato. A rua da grife está mais sofisticada, amadurecida, clean até.

Apesar dos prints geométricos que salpicam os blocos – o Cantão adora uma estampa, veja bem -, o que salta aos olhos são mesmo os looks monocromáticos, mais calmos em musgo e off-white ou elétricos em laranja e azulão, pontos muito vivos de uma cartela invernal onde reinam de maneira alinhada os cinzas e terrosos.

Além de Carol, brilhou também no casting impecável a top platinada Aline Weber, em entrada luminosa ao final do desfile.

– O estilo maduro é de Lanza Mazza

– O styling, preciso, de Pedro Salles

– A beleza saudável leva a assinatura de Robert Estevão

– O melhor look é o vestido encasulado verde musgo, de malha delicada e barra assimétrica, usado com meias 7/8 do mesmo material. Elegante que só e perfeito para combinar com a bota nômade nervurada