Sylvain Justum acompanhou de perto a edição de inverno 2013 do SPFW, que teve uma edição pocket, de 7 a 9 de novembro, realizada pela primeira vez no parque Villa Lobos. Confira abaixo os cinco desfiles de destaque para o nosso editor de moda:

Osklen

Fotos: Fotosite


Oskar Metsavaht
afirma que apresentar essa coleção demandou um preciso poder de síntese. De fato, foram apenas 18 looks, entre masculino e feminino, inspirados nas silhuetas dos esquiadores dos anos 1950 e 1960, mixados com a modelagem ampla das peças de snowboarding atuais. “Um contraste da sofisticação da Aspen sessentista com a rusticidade da Patagônia”, resumiu o designer.

Carol Trentini abriu o desfile com top felpudo e calça ajustada de neoprene, cuja barra recortada e levemente flair serviu de bela moldura para a sandália pesada de amarração esportiva. Expert em entregar materiais novos e sofisticados, Oskar aposta também na seda rústica feita em tear artesanal, como no vestido tricolor (preto, off-white e carmim) de Daiane Conterato com textura próxima da ráfia. No bloco “snowboard”, tops amplos, com a modelagem boxy do momento, em jacquard ou lã bordada.

Tufi Duek

Foto: Fotosite

O filme Os Pássaros, de Alfred Hitchcock, é o ponto de partida para o inverno dark e fetichista da Tufi Duek, mas é possível associar a poderosa coleção também às icônicas imagens produzidas pelo fotógrafo Helmut Newton, célebre entusiasta de mulheres fortes e de sensualidade agressiva. Couro cortado a laser em efeito de treliça, penas – de corvo, como no filme – a enfeitar corpetes, e tops tomara que caia – decote oficial da coleção – combinados a saias lápis ditam regra.

A alfaiataria mostra força nos casacos e blazers de abotoamento duplo, masculinos e sessentinhas – antenas ligadas, parece ser uma das direções da temporada… –, de cintura marcada desenhando a silhueta ampulheta.

Vitorino Campos

Foto: Fotosite

Os elegantes nudes do primeiro bloco do desfile de Vitorino Campos abrem alas para um festival gráfico ora em vermelho, marrom e preto, ora em roxo;  um sem fim de listras em calças matadoras, vestidos estruturados com recortes estratégicos, tops boxy e casacos sessentinha. Barriga de fora para as mais abusadas, camisas metalizadas, abotoadas até em cima, para as recatadas. Nos pés delicadas sandálias teladas de salto fino.

Alexandre Herchcovitch

Foto: Fotosite

Um jardim de formas clássicas, resgatadas dos anos 1940 e 1950 preparam o inverno primaveril de Alexandre Herchcovitch. Extremamente feminina, a coleção desvirtua babados e peplums, que aparecem deslocados, pulando da cintura para a barra dos vestidos; mangas surgem dependuradas, como que amarradas na cintura ou displicentemente desvestidas depois de um baile de princesas. Looks lisos? tem também, na monocromia das primeiras entradas, em branco e vermelho, e no rico vestido negro de Geanine Marques, todo bordado de minividrilhos pretos, arredondados, com sofisticado efeito galuchat.

Reinaldo Lourenço

Foto: Fotosite


Reinaldo Lourenço
inspirou-se no universo das touradas espanholas da Andaluzia para produzir uma coleção luxuosa, com riqueza de detalhes fascinante. São boas sacadas de Reinaldo, assim como as pelerines perfecto ou biker, os boleros cobertos de renda e cristais, uniformes urbanos para toureiras do século 21. Entre os looks, foi difícil escolher um só, mas ficamos com o moletom deluxe vermelho com arabescos e tiras de couro, usado com saia de babados de couro.