Elizabeth usa a tiara no festival de Cannes de 1957 - Fotos: reprodução
Elizabeth usa a tiara no festival de Cannes de 1957 – Fotos: reprodução

Tiara de diamantes, 1957
“Quando Mike Todd (seu terceiro marido ) me deu essa tiara, ele disse: ‘Você é minha rainha, e eu acho que você deve ter uma tiara’”, descreveu Elizabeth Taylor no livro A Vida em Joias. “Eu a usei pela primeira vez quando fomos ao Oscar. Foi a noite mais perfeita, porque o filme de Mike, A Volta ao Mundo em 80 dias, ganhou a estatueta. Não era moda usar tiaras, mas eu a usava de qualquer maneira, pois ele era meu rei.”

À esquerda um video caseiro em que Elizabeth ganhou seu conjunto e à direita o conjunto da Cartier - Foto: reprodução
À esquerda, cena de um vídeo caseiro do dia em que Elizabeth ganhou seu conjunto na piscina e, à direita, as peças da Cartier Cartier – Foto: reprodução

Conjunto de rubis da Cartier, 1957
Todd a presenteou com um conjunto de diamantes e rubi da Cartier enquanto ela estava nadando. “Eu sai e coloquei meus braços em torno dele, e ele disse: ‘Espere um minuto, não despreze sua tiara.’ Porque eu estava usando a tiara que ele me deu na piscina! Ele estava segurando uma caixa de couro vermelha, e dentro havia um colar de rubi e diamantes que brilhavam ao sol. Primeiro Mike o colocou em volta do meu pescoço e sorriu. Em seguida, ele se abaixou e colocou os brincos combinando em mim. Logo depois veio a pulseira. Como não havia espelho por perto, eu tinha que olhar para a água. Eu gritei de alegria e o puxei para a piscina. Em um dia de verão perfeito e cheio de amor.”

Elizabeth Taylor com o seus brincos de - Foto: reprodução
Elizabeth Taylor com o seus brincos de candelabro de diamantes – Foto: reprodução

Brincos candelabro de diamantes, 1957
Esses brincos candelabros de diamantes eram os favoritos de Elizabeth, foram usados pela primeira vez em 1959 e quadro décadas depois no Oscar de 1992. Quando ela os descobriu em uma loja de Paris, eles brilhavam. “Alguns meses depois, de volta em Nova York, eu estava me arrumando para uma festa e os coloquei. Eu abri a caixa e os brincos pareciam estar polidos. Havia algo diferente sobre a forma de como eles se encaixavam. Então eu disse: ‘Mike, há algo errado com os meus brincos’. E ele riu e disse que eles tinham sido feitos com diamantes reais.”

Elizabeth Taylor no filme The V.I.Ps onde usa seu broche como acessórios de cabeça e ao lado o broche da Bvlgari - Foto: reprodução
Elizabeth Taylor no filme “The V.I.P.s”, com seu broche como acessórios de cabeça. Ao lado, o broche da Bvlgari – Foto: reprodução

Broche de esmeraldas da Bvlgari, 1960
Elizabeth usava seu broche de diamantes e esmeraldas como um acessório de cabelo no longa The V.I.P.s, de 1963. Ela muitas vezes selecionava peças de seu próprio guarda-roupa para melhorar seu figurino nas telas.

À esquerda Elizabeth em uma premiere em Paris no ano de 1968, e à direita o colar da Bvlgari de diamantes e esmeraldas - Fotos: reprodução
À esquerda, Elizabeth em uma première em Paris no ano de 1968 e, à direita, o colar da Bvlgari de diamantes e esmeraldas – Fotos: reprodução

Colar da Bvlgari, 1962
Em uma pausa nas filmagens de Cleópatra, Taylor foi até a Bvlgari com Richard Burton. “Richard era tão romântico que usava qualquer desculpa para me dar joias”, recordou Elizabeth. “Ele ia me dar um presente por que era um belo dia ou por que estávamos em um passeio. Ao longo dos anos comecei a pensar neles como ‘é terça-feira, joias de eu te amo’. Taylor pode escolher entre dois espetaculares colares de diamantes e esmeraldas. “Eu tentei o colar enorme, em seguida, o menor, depois o maior e assim foi. A essa altura, nosso amigo e stylist de Richard, o Bob, estava conosco. Richard o perguntou qual ele preferia. E Bob também não conseguia escolher. Eu os experimente mais uma vez e disse, ‘Richard, Eu acho que eu gosto mais do menor’. E o Bob disse, “Mr. B, não consegue mais encontrar garotas assim nos dias de hoje.”

Elizabeth Taylor com seu diamante The Krupp - Foto: reprodução
Elizabeth Taylor com seu diamante The Krupp – Foto: reprodução

O diamante Krupp, 1968
Richard Burton pagou US$ 305 mil para o anel de 33,19 quilates de Harry Winston, em 1968. “Esta notável pedra era chamada de The Krupp, pois pertenceu a Vera Krupp, da famosa família que ajudou a matar milhões de judeus”, escreveu Taylor. “Quando chegou a leilão no fim dos anos 1960, pensei o quão perfeito seria se uma menina judia como eu o comprasse.”

Elizabeth Taylor com o colar que contém o diamantes Tayloy-Burton e em sua mão direita o diamantes The Krupp - Foto: reprodução
Elizabeth Taylor com o colar que contém o diamantes Taylor-Burton e, em sua mão direita, o diamantes The Krupp – Foto: reprodução

O diamante Taylor-Burton, 1969
Sua mais famosa pedra foi um diamante de 69.42 quilates com corte de pera, que Burton comprou para ela em um leilão por mais de US$ 1 milhão. Ele foi originalmente de um anel. “Mas, mesmo para mim, era muito grande”, disse Taylor. “Por isso, pedimos para a Cartier desenhar um colar. “Ela usou o novo modelo no Oscar de 1970.

Elizabeth Taylor usando colar em 1988 - Foto: reprodução
Elizabeth Taylor usando colar em 1988 – Foto: reprodução

Colar de safira da Bvlgari, 1969
Burton disse certa vez: “A única palavra que Elizabeth sabe falar em italiano é Bvlgari”. Certamente, ela aceitou alegremente de presente um colar de diamantes e safira que conta com um pingente com uma safira birmanesa de 321 quilates.

Elizabeth Taylor com seu colar de margaridas com diamantes brancos e amarelos e com chrysoprase da Van Cleef & Arpels - Fotos: reprodução
Elizabeth Taylor com seu colar de margaridas com diamantes brancos e amarelos e com chrysoprase, da Van Cleef & Arpels – Fotos: reprodução

Colar Van Cleef & Arpels, 1993
Quando Elizabeth recebeu o prêmio Jean Hersholt Humanitarian Academy Awards por seu ativismo anti-AIDS, ela pegou emprestado um colar de margaridas com diamantes brancos e amarelos e com chrysoprase, da Van Cleef & Arpels, para combinar com seu vestido amarelo da Valentino. Depois da noite, Elizabeth Taylor decidiu que era seu colar de boa sorte e o comprou.