Patricia Viera, verão 2014/15 - Foto: Getty Images
Patricia Viera, verão 2014/15 – Foto: Getty Images

Por Camilla Bello

“Nasceu!”. Foi assim que, visivelmente emocionados, Luiz Calainho, da L21, Duda Magalhães, da Dream Factory, Eduardo Eugênio, da FIRJAN, e o estilista Carlos Tufvesson anunciaram o lançamento do Rio Moda Rio em coletiva de imprensa armada no Museu de Arte do Rio de Janeiro nessa quinta-feira (14.04).

O encontro apresentou detalhes da nova semana de moda carioca, que irá acontecer dos dias 14 a 18 de junho, no Pier Mauá, e deixa, definitivamente, para trás o finado Fashion Rio: “Ficamos dois anos em silêncio para encontrar um rumo melhor e agora todos os nossos esforços estão concentrados nisso. Vamos deixar o Fashion Rio de lado, no canto, e espero que não precisemos mais tocar nele.” disse Eduardo.

Leia mais: Rio de Janeiro ganha nova fashion week

O primeiro dia do evento será marcado por uma festa para 700 convidados. O happening, que irá homenagear quatro marcas que fizeram história no mundo da moda brasileira (Maria Bonita; Company; Yes, Brasil e George Henri), terá direção artística de Gringo Cardia. Gringo, aliás, também assina a concepção dos desfiles, 12 no total, que terão formato livre e salas multiuso, ou seja, não necessariamente serão apresentados no formato “modelo + passarela reta”. Cada estilista terá liberdade criativa para escolher como irá lançar suas novidades – que, assim como o SPFW, não seguirão um calendário de estações.

Um registro da coletiva de imprensa que aconteceu no Rio de Janeiro - Foto: divulgação
Um registro da coletiva de imprensa que aconteceu no Rio de Janeiro – Foto: divulgação

No line up, nove das 12 grifes já estão confirmadas: Lenny Niemeyer, Patricia Viera, Osklen, Isabela Capeto, Alessa, Blue Man, The Paradise, Martu e Guto Carvalho Neto. Ao fim de tudo, no dia 18, um compilado das apresentações irá acontecer na Praça da Bandeira, aberto ao público: “Nos preocupamos muito em democratizar o espaço. Queremos que todos tenham acesso à moda”, conta Duda. Ah, e, logo em seguida, as novidades estarão à venda nas lojas das etiquetas, seguindo o movimento see now, buy now.

Pensada para ser uma plataforma, a nova fashion week, fará um mix entre moda e entretenimento. Para além dos desfiles, o espaço também sediará pop up stores, um espaço para divulgação de novos estilistas, shows (Johnny Hooker, Jesuton e Alice Caymmi entre eles), performances artísticas, palestras, e uma área voltada para a gastronomia. Ingressos de acesso ao Pier estarão à venda, em breve.

“Pensamos numa plataforma focada em duas coisas: devolver a moda para a mão dos estilistas; e trazer o consumidor para perto. Queremos lançar um projeto revolucionário, que acompanhe e até mesmo, quem sabe, direcione a moda neste novo momento”, explica Calainho, se referindo à crise finaceira.

Em ano de Olimpíadas na cidade, o movimento ganha ainda mais força e visibilidade. Quer acompanhar todos os detalhes? Então não perca a nossa cobertura!