Foto: Marcio Madeira

Na última temporada de inverno internacional, Haider Ackermann era um dos nomes apontados como possível diretor criativo da Christian Dior. O posto acabou sendo ocupado por Raf Simons. Sem se abalar, o colombiano segue exercitando suas melhores qualidades, as de criar lindas roupas, com os melhores materiais, num elegante duelo entre masculino e feminino.

O cinto Obi, que Ackermann já explora há um bom tempo e que tem aparecido em diversas coleçōes nesta estação, não só em Paris, mas em Milão também, surge em versão máxi, envolvendo as cinturas e permitindo proporções e formas diferentes, como uma cascata de tecidos de looks que lembram versões modernas de piratas.

Os blazers, executados sempre com perfeição pelo estilista, trazem a dose certa de androginia, que se faz presente também nas impecáveis calças de cintura alta e até nos vestidos, graças às bandagens de couro incorporadas a tecidos levíssimos. Os polka dots salpicam a maioria dos looks, desenvolvidos numa cartela escura e sombria, basicamente em cinza e preto, trazendo um ar melancólico e fetichista ao verão de Ackermann.