Fotos: Marcio Madeira

Sempre conceituais em suas coleções, os designers Viktor Horsting e Rolf Snoeren (aka Viktor & Rolf), mais uma vez, brincam com o imaginário fashion na temporada de verão 2013 em Paris.

Há uma metáfora nesta coleção, cheia de pequenos detalhes, com o espelho servindo de peça fundamental no quebra-cabeça armado pela dupla. A entrada das modelos era refletida por um espelho gigante, que também aparece, em menores proporções, aplicado nas roupas e, de forma mais sutil, no jérsei metalizado de alguns looks – o material é um dos hits da estação, junto com a organza.

A dualidade espelhada aparece na constante oposição entre gráfico e fluido, leve e pesado. O primeiro bloco do desfile revela looks geométricos, com muito preto e branco, que vão se tornando cada vez mais suaves, conforme a segunda leva adentra a passarela. A coleção passa a ser dominada por vestidos vaporosos, em tons pastel, dignos de princesas de contos de fada – leia matéria a respeito do fascínio das artes e da moda por esse universo na Harper’s Bazaar de outubro.

Contrastes aparecem em praticamente todos os looks da coleção, desde os comprimentos – longo de um lado e curto do outro -, até o mix de texturas – plissado de um lado e liso do outro –, num delicado duelo entre sonho e realidade, leveza e rigidez.