Fendi, Prada e Proenza Schouler - Fotos Getty Images
Fendi, Prada e Proenza Schouler – Fotos Getty Images

Passados os shows de Nova York, Londres e Nova York, uma constatação: essa história de desfilar roupas para o calor durante a temporada de verão já não tem vez no calendário da moda. A internacionalização das marcas (e mesmo a bagunça climática que tomou conta do globo) faz com que as marcas repensem suas estratégias e alimentem suas passarelas com peças que agradam consumidores em qualquer época do ano, independentemente da estação e do hemisfério onde foram desenvolvidas.

Fendi, Prada e Proenza Schouler - Fotos Getty Images
Fendi, Prada e Proenza Schouler – Fotos Getty Images

Globalizadas que são, a Prada e a Fendi, só para citar algumas das labels que entraram na dança, levaram para seus desfiles de verão 2014 pesados casacos de pelúcia que em nada combinam com o calor. Mas pense bem, faz todo o sentido: quando as coleções de Miuccia e Lagerfeld desembarcarem aqui no Brasil estaremos em pleno inverno e, porque não, em busca de uma dessas peças que, por hora, chocam aqueles que assistem as apresentações esperando comprimentos minis e tecidos leves.

E olha que o jogo de inversões não para por aí! Acompanhar o ritmo do mercado também não está fácil e já virou quase que rotina as marcas começarem seu período de sale justamente quando a estação pede as roupas que estavam ali encalhadas, sem consumidores a sua procura. #bagunçafashion