Foto: Divulgação
AAVVA – Foto: Divulgação

Vincenzo Visciglia é sinônimo de luxo. E se você pensa em bolsas de marca e viagens para Paris, pense um pouco mais alto: o brasileiro é o estilista e o arquiteto que atende a high society árabe. Entre xeiques e personalidades do entretenimento, ele veste as famílias mais ricas e as fashionistas que prezam pelo glamour. Em uma rápida viagem ao Brasil, Vincenzo conversou com a Bazaar sobre sua carreira, sua vida no exterior e sobre planos para a futuro.

Nascido em Tatuí, no interior de São Paulo, aos 12 anos ele se mudou com a família para Miami. Vincenzo cresceu nos Estados Unidos e se formou em design de interiores, na Design International Fine Arts. Em seguida, cursou arquitetura na Florida International University. O designer então abriu sua própria loja de móveis, sempre focando em decoração e interiores.

O brasileiro chegou a Dubai pela primeira para visitar um amigo. O plano era ficar apenas um fim de semana na maior cidade dos Emirados Árabes. “Fui com apenas R$ 1.160 no bolso”, relembra o estilista. O convite veio de um amigo da faculdade – onde Vincenzo cursou Design de Interiores, em Miami. Esse amigo era diretor de uma companhia que fazia hospitais, e tinha um sócio local. Esse sócio se interessou pelo trabalho do brasileiro, e em três meses, ele já tinha um escritório próprio. Há 10 anos em Dubai, Vincenzo é um sucesso no universo do design.

Entre cafés, restaurantes, e ambientes privados, Vincenzo ficou conhecido no boca a boca. Assim, começou a ser introduzido ao universo dos xeiques árabes e de pessoas famosas. “É tudo muito privado, eles são discretos. Eles não gostam de ostentar para a mídia, mas sim entre si”, diz Vincenzo sobre o trabalho que faz. Então, normalmente, as fachadas dos prédios e casas são minimalistas, e o luxo está dentro dos ambientes pessoais.

Nesse contato, Vincenzo tem muito a conversar com as esposas dos Xeiques, que perguntavam a ele opiniões sobre estilo – já que admiravam seu senso estético: “Elas queriam que eu ajudasse nas roupas, em escolher as melhores peças para garantir elegância”. Nessa época, o brasileiro era júri em uma das faculdades de moda do Líbano e, por interesse no mundo fashion, decidiu abrir uma marca como um hobby.

“Fiz uma coleção-capsula. Um amigo meu tinha uma boutique de multimarcas, e pedi para ele se poderia expôr as peças em sua loja. Ele tinha uma gerente italiana que precisaria aprovar e, se tudo desse certo, o negócio estava fechado. No dia, enquanto eu tirava os sacos para colocar nas araras, as pessoas já iam escolhendo e  experimentando para comprar. Não tinha nem preço. Em 10 minutos, vendi oito peças. Foi a confirmação que eu precisava”, conta Vincenzo sobre a primeira experiência de vendas. Quando uma personalidade da televisão árabe usou em seu programa uma de suas roupas, a AAVA estourou.

Questionado sobre seu processo criativo, Vincenzo deixa claro que usa e abusa de seus conhecimentos arquitetônicos: “Uso o AutoCAD, que é um software para auxiliar na construção de projetos de arquitetura. Desenho vestidos, bordados, tudo por lá”. O estilista aposta em modelagens que valorizam o corpo da mulher, em formas geométricas e únicas. Sobre os bordados, a AAVVA é patrocinada pela Swarovski. “A própria label de pedrarias veio atrás do nosso trabalho. Eles procuravam alguém que desenvolvesse peças com pedras únicas e que se destacassem no mercado”, revela Vincenzo sobre a escolha das pedras. Ele fica com as peças excedentes, por isso seu trabalho é tão único e glamuroso.

“Começamos vendendo pelo Instagram, então a Galeria Lafayette nos procurou”, comenta Vincenzo, que agora está em nove lojas de departamento pelo país. A AAVVA abriu a flagship store há quase um mês e o brasileiro já está ansioso pelo futuro. São vestidos feitos sob medida, de alto padrão e feitos à mão – que o designer considerada como peças de alta-costura. Em quatro anos de existência da label, Vincenzo já possui 60 funcionários.

E sobre sua clientela, Vincenzo deixa claro: “somos honesto com nosso público. São mulheres com cintura de um metro. Então usamos cortes que seguram a silhueta e moldam o corpo. Trabalhamos muito com neoprene, com acabamentos impecáveis e confortáveis”.

Para o futuro, Vincenzo planeja desfilar suas criações na semana de moda de Milão, em novembro. E sobre a moda no Brasil, ela fala: “admiro muito o trabalho que os estilistas fazem aqui. São muito precisos e estão sempre se reinventando. Tenho muito que aprender com eles”.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

AAVVA, coleção Frida - Foto: Divulgação
AAVVA, coleção Frida – Foto: Divulgação
AAVVA, coleção Frida - Foto: Divulgação
AAVVA, coleção Frida – Foto: Divulgação
Asmahan Analqbi veste AAVVA - Foto: Divulgação
Asmahan Analqbi veste AAVVA – Foto: Divulgação

Leia mais:
Esquente o look com peças transparentes neste inverno
Sylvie Quartara cria clutches com madeira de reflorestamento
City Surfer: aprenda a inserir o estilo no dia a dia
Moda sustentável: Adidas anuncia tênis reciclável