Faça sol ou faça chuva, aqui pelos trópicos nada faz mais sucesso que o sorvete. A iguaria inventada na China – terra do TikTok – há mais de 3 mil anos, com receita que misturava pasta de leite de arroz à neve, conquistou o imperador Nero (aquele que tacou fogo em Roma), que, para esfriar os humores, mandava o seu exército congelar mel e polpa de frutas nos cumes gélidos da Itália. Mas quem leva a fama de ter apresentado o “gelato” aos europeus é Alexandre, o Grande, isso por volta de 330 anos a.C.

Embora a delícia jamais tenha saído de cena, é bem verdade que ela só virou hit gastronômico no século 14, graças ao navegador veneziano Marco Polo. Sim, o mesmo cara que colocou o macarrão no prato dos ocidentais, deu uma mãozinha para bombar a sobremesa também no verão. Aí, bastou o chef siciliano Procópio dei Coltelli atracar em Paris, em 1686, com o Café Procope, para transformar o sorvete em sucesso atemporal. A maravilha chegou ao Brasil com duzentos anos de atraso – e só foi comercializada em escala industrial a partir da década de 1940. O primeiro picolé por essas bandas foi o “eski-bon”.

Para entrar no clima – e refrescar o paladar – confira o select que precisa ser degustado nesta temporada. Entre os destaques, vale experimentar o Moti, espécie de bolinho japonês, que aparece em versão gelada da Smoti Sorvete. “Conhecemos o quitute em um restaurante de Nova York e imediatamente percebemos que seria um produto perfeito para o Brasil, onde as pessoas são abertas às novidades”, conta a sócia da marca, Emília Tayra.