Lázaro Ramos canta para crianças

Ao lado de Jarbas Bittencourt e Heloisa Jorge, o ator lança o projeto musical Viagens da Caixa Mágica e conta que está escrevendo livro sobre paternidade

by Luciana Franca
Lázaro Ramos lança o grupo infantil Viagens da Caixa Mágica

Lázaro Ramos lança o grupo infantil Viagens da Caixa Mágica

O olhar generoso e artístico para o universo infantil sempre esteve presente na carreira de Lázaro Ramos, muito antes de se tornar pai de João Vicente, há oito anos, e de Maria Antonia, há quatro. “Eu já escrevia para criança, a primeira peça que escrevi para foi em 2000, e fiquei um tempão em cartaz com espetáculos infantis. Acho que os assuntos mudaram quando tive meus filhos, mas o desejo de falar com criança sempre existiu”, conta ele à Bazaar.

O ator, diretor, produtor, escritor e cantor – sim, Lázaro canta – lança, nesta sexta-feira (14.06), em plataformas digitais, o projeto Viagens da Caixa Mágica, ao lado de Jarbas Bittencourt, diretor musical e cantor, e da angolana Heloisa Jorge, atriz e cantora. “Gravamos os clipes e vamos lançar um canal no YouTube com uma tecnologia nova, lyrics 360°: com o celular é possível ir passeando pelos ambientes e descobrindo coisas”, antecipa sobre o trabalho multimídia, que inclui também um álbum com nove faixas.

SIGA A BAZAAR KIDS NO INSTAGRAM

As músicas inéditas abordam autoestima, identidade e brincadeiras, temas recorrentes dos livros infantis de autoria de Lázaro. Em 2010, ele escreveu A Velha Sentada, depois vieram Caderno de Rimas de João e Caderno Sem Rimas da Maria, em homenagem aos filhos. No mês passado, lançou Sinto O que Sinto, uma parceria com o Mundo Bita. “Eles me convidaram para escrever um livro sobre um personagem e eu escrevi usando (o programa) Laboratório Inteligência de Vida, que é, basicamente, ensinar as crianças a identificar o que estão sentindo, nomear esses sentimentos e entender os mais complexos.”

Jarbas Bittencourt, Lázaro Ramos e Heloisa Jorge à frente do projeto Viagens da Caixa Mágica

Jarbas Bittencourt, Lázaro Ramos e Heloisa Jorge à frente do projeto Viagens da Caixa Mágica

Na entrevista, Lázaro revela que, antes de ser ator, trabalhou em uma maternidade quando tinha 17, 18 anos. “Meu primeiro estágio profissional foi na maternidade pública Tsylla Balbino, em Salvador. Fiz curso técnico de  patologia clínica”, lembra. E conta ainda que veio de uma família grande e chegou a morar, durante uma época, com 10 primos na casa de sua tia-avó Anita, hoje com 94 anos. “O exercício de cuidar do outro sempre esteve presente. Tinha ela e a gente, era uma rede de apoio. Acho que isso deu uma treinada”, relembra. “Sempre gostei muito de criança, sempre gostei de cuidar de criança.”

Toda essa bagagem vai virar livro. Lázaro está escrevendo sua segunda obra para o público adulto – a primeira foi Na Minha Pele (2017) – e, desta vez, abordará a paternidade. Mas ele confessa que ainda está “travado” nas primeiras páginas. “É uma conversa que gosto muito, mas é difícil porque quando a gente fala de paternidade é sobre ausência ou comum perfil mais humorado, e estou tentando descobrir qual é a minha voz sobre o assunto. A gente se habituou a conversar mais sobre a maternidade do que sobre a paternidade”, afirma. Enquanto encontra sua voz, Lázaro toca outros projetos adultos: ele está na fase de pós-produção do filme Medida Provisória, no qual estreia como diretor de cinema.

Heloisa Jorge, Lázaro Ramos e Jarbas Bittencourt

Heloisa Jorge, Lázaro Ramos e Jarbas Bittencourt

Leia mais:
Taís Araujo faz sua primeira capa da Harper’s Bazaar
Taís Araujo sobre autoestima: “é flutuante, vai e volta”