Por Renata Busch

Conciliar o gosto pessoal com a estação do ano é o maior desafio para escolher as flores do casório. Em alta para 2022, buquês mais descontruídos e assimétricos, com aspectos românticos e naturais, em sintonia com as cerimônias ao ar livre.

Rayra e Daniel/ Foto Divulgação

Sazonalidade
O principal atributo de uma flor não é a beleza, mas, sim, a resistência. “Não indicamos as flores muito delicadas, que murcham rapidamente fora d’água”, explica Camila Ferraz, do Atelier Flamboyant (@atelier_flamboyant). A época do ano também deve servir como guia. “Algumas noivas querem tons outonais e de inverno em novembro e dezembro, ou tulipas, de climas frios, e peônias, que só são produzidas de maio a agosto. Para não haver frustração, sugiro sempre um plano B, caso não haja a flor desejada na semana anterior ao casório”, conta a designer Vivi Reis (@comquefloreuvoubouquets).

Flores
A florista Angela Silveira (@angelasilveirabouquet) – há três décadas fazendo buquês –, afirma que não há um número ideal de flores, mas que geralmente utiliza em torno de cinquenta. “O tamanho do arranjo deve ser proporcional à altura da noiva e levar em consideração se o casamento será no campo, na praia ou na igreja. A orquídea, nobre e clássica, é sempre a flor mais procurada.  Na avaliação de Vivi Reis, a paleta criativa de cores acaba sendo mais tendência do que as flores. “As mais procuradas são as que dão volume e textura, com botões grandes, como o cravo, a garden rose, que tem muitas pétalas na coroa, dálias e orquídeas. Já as flores com perfume forte, a exemplo de angélicas e lírios, devem ser evitadas”, diz.

Estilo
Na percepção da designer floral Barbara Chiré (@flores.barbaras), no resgate de estilo, o buquê em cascata continua como referência. “A inspiração é vintage, com as flores seguindo o fluxo do vestido”, avisa. Com a procura em alta, a protea – uma flor originária da África do Sul – deve simbolizar uma época. “Os buquês mais naturais são montados de um jeito leve, como se tivessem sido colhidos no campo. São assimétricos, sem distribuição das flores por igual, ao contrário dos clássicos, simétricos. Temos ainda opções de buquês tropicais, minimalistas e monocromáticos, com uma espécie só, além da inspiração boho, com texturas de plumas vegetais. O mais importante é compor com o estilo da noiva”, completa.