Foto: Pixabay

Por Karen Couto

Somos a nova realeza. Somos reis e rainhas! Seres únicos – cada um de nós – coroados com o vírus que está nos colocando em contato com a verdade. A nossa verdade.

Se você ainda não se apaixonou por você mesmo, chegou a hora. A nossa mais pura e crua divindade – seja ela qual for, está mais clara do que jamais esteve. Oportunidade preciosa para se observar e se acolher, se conectar, crescer, compartilhar e evoluir.

O mundo surreal em que estávamos vivendo já estava com prazo de validade vencido.  Muita alienação, muita cafonice, mesmice, hipocrisia, superficialidade, fuga, falsidade, inverdades. Sendo muito sincera, uma chatice! Você não acha?

Confundíamos “ôba, ôba” com confraternização. Entretenimento com consumo exagerado de alucinógicos e drogas permitidas, deturpando até o que já era bom. Exageros desenfreados. Consumo prazeroso como ferramenta ilusória para alcançar autoestima e status. Descaso.

Nos permitíamos sexo pela carência e pelo vazio, e não ao contrário. Alimentando ainda mais a carência e o vazio. Femininas? Nem

sempre. Feministas, às vezes. Machistas? Mesmo sem querer…o amor próprio perdendo cada vez mais espaço. Muito confuso e, arrisco dizer, desumano!

A alimentação saudável passou a ser assunto de bar e, de moda, nas mídias. Bom também. Mas o melhor é ter a certeza de que a “modinha” não se trata mais de uma questão supérflua e opcional. O bagulho é sério. Assim como o que escolhemos o que vestimos, o que comemos, todas as nossas escolhas são comportamentais e refletem a nossa elegância e nobreza.

Ou você se cuida ou esse e outros vírus cuidarão de você. Abuse da cúrcuma combinada com pimenta preta, gengibre, ovos, sementes de girassol, castanhas e outras oleaginosas, sementes e óleo de gergelim, espinafre e cogumelos. Salsinha, cebolinha, a folha da cenoura picadinha, brócolis, sucos de vegetais, frutas vermelhas, abacate, abacaxi, maracujá, goiaba, pitaya e frutas cítricas como o multifuncional limão, chás de canela, anis estrelado e cravo, gargarejar com água morna e sal e/ou vinagre são dicas simples com relação à alimentação que você pode e deve considerar. O planeta voltou a “respirar”.

E você também. Profundamente. O físico, o emocional, o psicológico e o espiritual assumem, de uma vez por todas, o seu papel, cada um deles com o mesmo peso e relevância. Integralmente.

De que adianta você ir 10 horas à academia se a mesma quantidade de pesos que você levantou correspondem aos “macaquinhos” que ficam pulando de galho em galho na sua mente, retirando sua paz e sossego, desestabilizando o seu emocional e enfraquecendo o seu sistema imunológico?

De todas as práticas espirituais desde os meus 10 anos (sim, uma pirralha espiritualizada), desconheço qualquer uma que supere a meditação e a paz interior e felicidade que ela proporciona. Quando falo em meditação não me refiro a retiros como o vipassana (10 dias em silêncio praticando 10 horas por dia), me refiro à simples conexão com a sua respiração. Inspirar e expirar – felizmente nada mais disponível e democrático. Para começar, experimente uma vez por dia, diariamente, por apenas 10 minutos com os olhos fechados (ou abertos, na meditação dinâmica, na direção, ao lavar uma louça ou na fila do mercado – a balada da nova era) em posição confortável ao acordar ou antes de dormir.

Você desfrutará, eu garanto. E ansiará por mais.

Entretanto, cuidado para não virar um “freaky” da espiritualidade e esquecer do seu corpo físico, da família, das suas amizades e se tornar um egocêntrico travestido de “guru” da atualidade, se achando o mais iluminado da avenida Paulista.

Todos os aspectos da sua vida são valiosos. Como você, seu principal tesouro.

O momento é bastante critico, mas generoso. Apesar de muitos estarem sofrendo grandes perdas financeiras, a ocasião permite reconhecimento pessoal e crescimento interior.

“Em terra de cego quem tem olho é rei”. É preciso ser criativo em todos os aspectos da sua vida. O ócio e o vazio possibilitam que a criatividade germine dentro de você.

Coloque uma música “da hora”, se acaricie no banho, lambuze-se de óleo de coco ou hidratante ou ambos com essência de lavanda (por exemplo) , admirando-se no espelho, comunique-se e estabeleça limites na sua residência (se você mora em família), coloque uma roupa linda ou a mais “fudida”.  Vista a sua “coroa” e vá dar um rolê no mercado. Quem manda no seu astral é você. E ele é o seu maior aliado na luta contra esse e qualquer vírus. Ame-se!

Warm regards,

Love.

Karen Couto é palestrante e chef pós-graduada em gastronomia funcional e autora do livro “Você Pode Ser Mais Feliz Comendo, um guia alimentar com práticas físicas, terapêuticas e espirituais”.