Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Se você passa a maior parte do seu dia olhando para a tela do seu celular, fique atenta: uma nova descoberta sugere que a luz dos dispositivos móveis pode estar envelhecendo sua pele. Assustador, né?

A explicação é que a luz azul emitida por nossos aparelhos eletrônicos, considerada de alta energia visível (HEV), penetra mais profundamente em camadas de nossa pele do que os raios ultravioletas, que aceleram o envelhecimento. “O dano acaba sendo muito pior do que o UVB e UVA, alcançando a pele em suas camadas mais profundas, onde o colágeno, elastina ou o ácidos residem”, afirma Kyoko Hayashi, fundadora e esteticista da Mirai Clinical. “Isso não é muito comentado nos Estados Unidos ainda, mas entre os japoneses interessados em beleza, já há muita informação sobre o assunto”, diz ela.

As companhias de beleza, aliás, já notaram isso e estão colocando à venda produtos que prometem proteger sua pele da luz azul. No entanto, essas novidades por enquanto só estão disponíveis no Japão.

Howard Sobel, um dermatologista baseado em Nova York e fundador da linha de cosméticos DDF Skincare, disse que há muitas razões em potencial para nos preocuparmos. “Uma das descobertas científicas mais interessantes dos últimos tempos é que os problemas de pele causados por alta energia visível podem ser tão prejudiciais quanto os danos causados por raios UVA e UVB combinados”, disse , lembrando que ainda falta uma extensa pesquisa sobre o assunto.

O especialista. porém, afirma que não há motivo para desespero e sugere o uso de protetor solar, que ainda é o melhor amigo contra os danos que as luzes azuis podem causar na pele.De todo modo, talvez isso seja um sinal para colocar o seu celular um pouco de lado.