As irmãs Marina e Helena Barbosa – Foto: Flavio Teperman/Divulgação

Por Dani Pizetta

A forma como conheci as fundadoras da Inner Beauty é um ótimo exemplo do quanto nossa intuição abre portas, amigos e negócios. Certo dia, recebi uma ligação: “você precisa conhecer duas irmãs que estão lançando uma marca de cosméticos focada em bem-estar, é a sua cara”! Alguns dias depois já estava frente a frente com Marina e Helena, que além de irmãs, são gêmeas. As duas estavam prestes a lançar sua marca, chamada Inner Beauty.

Os produtos apresentam o melhor fusion brasileiro que já vi nos últimos tempos. Suas fragrâncias foram desenvolvidas do zero e cada item, além de composições hidratantes, calmantes e relaxantes, é cercado por memórias terapêuticas que as duas viveram e vivem até hoje. Nos sentamos em um café, e como dizem por aí: papo bom não tem fim, evolui.

Em um primeiro momento as gêmeas pareciam idênticas, e são, mas não por muito tempo. É engraçado como nosso cérebro funciona, enxergamos através do que conhecemos. Mas quando deixamos de ver com os olhos e passamos a ouvir com atenção, passamos de fato, a conhecer alguém. Foi uma experiência incrível olhar para duas mulheres muito parecidas por fora, e aos poucos, ver o desabrochar de almas complementares.

Grudadas desde que nasceram, foi na fase adulta que começaram a experimentar o mundo separadas. Elas estabeleceram carreiras em áreas diferentes, encontraram os amores de suas vidas e tornaram-se mães. Enquanto as filhas de ambas crescem, as irmãs parecem voltar para um lugar comum. Agora sócias, as gêmeas relembram momentos que marcaram suas jornadas até aqui, e este é um convite tanto para aprendermos com suas escolhas, como para celebrar o lançamento da Inner Beauty.

Enjoy!

Helena e Marina, o que a experiência de ter uma irmã gêmea pode nos ensinar sobre negócios?

Marina: Nesse aprendizado de ser gêmeas nós fomos percebendo quais eram as qualidades de cada uma. Enquanto eu abro caminhos a Helena pavimenta. Eu trago a inovação, a criatividade e a conexão com as pessoas. Ela consegue ter praticidade na execução e transformar isso em projeto. Tudo isso foi crucial para estruturarmos a lançarmos a marca. Acho que todos nós buscamos pessoas complementares, e nós tivemos a felicidade de nascer na mesma família, mas não só isso, de nascermos juntas!

Eu acho que ser gêmea é assim, meio mágico!

Helena: Acho que este é o pensamento de muitas pessoas. Até certo estágio da vida, nossa energia parecia misturada. Às vezes não sabíamos o que era de uma e o que era de outra. Foi na fase adulta que começamos a nos separar mais, mas de alguma forma estávamos sempre conectadas. Quando fizemos nosso mapa astral, descobrimos que temos dois signos que nos influenciam em cada casa, ou seja, além de gêmeas, nosso mapa (também) é duplo! Nascemos com cinco minutos de diferença e para os céus, esta é a prova de que somos diferentes por dentro (rs). Mas o que posso dizer, é que nossa personalidade e nossas vivências individuais, nos completam também nos negócios.

Vocês sentem-se diferentes por serem tão iguais por fora?

Helena: Estamos acostumadas a comparações, desde a barriga da nossa mãe. Já chegaram até a perguntar se sabíamos quem era uma e quem era a outra, se não havíamos sido trocadas na maternidade, se confundíamos os namorados. Isso rendia boas risadas, mas em outras ocasiões, era motivo de nos sentirmos “diferentes”. Naquela época, não era tão comum ver gêmeos por aí, mas esta era nossa realidade, e muitos aprendizados tiramos dessa relação: superar as inseguranças, os conflitos, as comparações e acessar um lugar de união, enquanto tínhamos que conhecer e afirmar nossa identidade e individualidade. Sabemos compartilhar experiências, viver os desafios e os milagres da vida. Sabemos também que cada indivíduo é único e sua trajetória está acima de qualquer comparação; e que o segredo da vida está em reconhecer a nossa beleza interior.

Vocês seguiram profissões e caminhos diferentes na vida adulta: Helena se formou em direito e Marina em administração e antropologia. O que precedeu as escolhas de ambas?

Marina: Foi uma busca pelo nosso autoconhecimento individual, mas não apenas na sua forma interna, além disso, queríamos sentir o mundo externo a nossa maneira. Por isso, nos jogamos no mundo para viver coisas e aprender com a vida. Por outro lado, mesmo conscientes sobre nossas diferenças, sabíamos que todos nos viam como uma “entidade” única, e isso acaba interferindo no nosso mundo particular. Então o processo de morar fora amplificou nossa identidade, nossas dificuldades e também nossas qualidades individuais. Não é à toa que fui estudar memória e identidade no mestrado em antropologia. Querer entender este tema a fundo veio desta busca interior.

Velas da marca Inner Beauty – Foto: Flavio Teperman/Divulgação

Pela profundidade da Inner Beauty, é fácil perceber que são conectadas com a natureza. Mas conversando com vocês, sinto que são também ligadas às energias do passado, do presente e do futuro.

Helena: Sim, a natureza nos direciona, mas às vezes precisamos nos desconectar do tempo em relação ao espaço. Acredito que todas as memórias são vivas e presentes em nós. Por exemplo, para construir a identidade e a experiência que temos hoje, usamos sempre o passado, por isso ele é tão importante. Já para construir o futuro, precisamos viver no presente. Sendo assim, acho saudável perder um pouco a noção de tempo x espaço e entender que a vida é sobre o “estado de presença.”

Marina: Isso mesmo! É meio filosófico, mas, por outro lado é prático. Tenho percebido que nos momentos da vida que estamos mais abertas, felizes ou realizadas, é que atraímos mais coisas boas, naturalmente.

Seria esta, a tal “abundância da vida”?

Marina: Sim, abundância é isso: deixar a vida fluir. Eu acredito muito nos pequenos sinais ao nosso redor. Pequenos comentários que podem despertar algo importante em nós, ou até mesmo, abrir um caminho novo. Para isso, basta estarmos atentas, mas muitas vezes só conseguimos perceber um sinal se tivermos vivido bastante! A maturidade é uma boa escola para a intuição.

Vocês se consideram cidadãs do mundo?

Helena: Sim! Primeiro porque somos conectadas ao planeta, depois porque já viajamos muito. Visitei 33 países, alguns em função do meu trabalho, como Dubai por exemplo. Sou formada em Direito e viajava para negociar contratos importantes. Mas sempre abria meu olhar para aprender mais sobre a cultura daquele país que visitava. Antes disso, morei em Barcelona, e por lá eu me soltei. Passei a entender e a apreciar que o que o universo pode trazer, sem fazer muito esforço.

Marina, você pode falar um pouco sobre a Helena?

Marina: No geral, é organizada e planejada. Eu fui morar na Espanha e ela veio me visitar. Logo depois ela resolveu se mudar para lá, se abriu para um novo mundo e começou a descobrir uma Helena mais aberta e conectada. E acho que expandiu este outro lado dela, mais intuitivo. Quando voltei a morar na Espanha, vi a Helena se transformar aos poucos e isso fez muito bem a ela. Foi quando ela passou a perder um pouco o controle e novos horizontes começaram a se abrir.

Helena, agora é sua vez, o que não sabemos sobe a Marina?

Helena: Marina é falante, se conecta com todo mundo, tem ideias ótimas, é curiosa e sempre foi a última a sair das festas (risos). Ela é mais Yang e eu sou mais Yin.

Como surgiu a ideia de criar a Inner Beauty?

Marina: Em 2018 a Helena começou a fazer uma curadoria de produtos, uma espécie de portfólio próprio, focado em fragrâncias e itens de bem-estar. Tudo isso enquanto negociava contratos e viajava a trabalho. Nunca falamos sobre isso, até que em 2020, eu que já atuava no universo das startups e tinha vindo de uma carreira no marketing de marcas globais, falei para ela que pensava em lançar uma marca nativa digital relacionada à produtos para o corpo e para a casa. Parecia que estávamos encerrando um ciclo e estávamos prontas para uma nova fase!

Helena: Nós duas já tínhamos sido mães e buscávamos algo que pudesse não só ser um trabalho ou um negócio, mas que pudéssemos usar toda nossa história e especialmente nossas vivências da infância. Pois tudo começou lá.

Onde exatamente?

Marina: Nascemos em São José do Rio Pardo (SP), e apesar de nunca termos morado lá, passávamos as férias de julho na casa das nossas avós. A casa da vó Zete tinha uma parreira de uva linda e uma horta com temperos e ervas que serviam para muitas coisas. Ela sempre conversava com as plantas. Hoje vejo que isso trazia magia para suas receitas e tenho certeza de que foi com ela que aprendi o poder de cura que uma planta pode ter. Foi a partir destas memórias de afeto que escolhemos trazer a magia das plantas aos produtos da Inner Beauty. Outro lugar que está muito presente na essência e nos aromas da marca é a Ilhabela. Foi perto do mar e da Mata Atlântica que desenvolvemos ainda mais nossa conexão com o universo e com nós mesmas. Mas aos poucos, fomos também incorporando essências, aromas e memórias que criamos em outros lugares do mundo.

Podem dar um exemplo de como aromas de outras culturas e geografias aparecem na Inner Beauty?

Helena: A flor de laranjeira é um ótimo exemplo. Visitei o Turcomenistão, um país fechado ao mundo. Ashgabat, sua capital, está encrustada entre montanhas, na fronteira com o Irã, a algumas centenas de quilômetros do Afeganistão e do Ubzequistão. Entre um compromisso e outro, num lugar onde mulheres não podem dirigir, me conectei profundamente com o feminino em mim e com o coração do planeta. Curiosamente, a energia que impera naquele país é de um feminino intenso, uma voz sussurrante emanando do centro da terra. A flor de laranjeira me acompanhou durante toda a estadia, do perfume ambiente às amenities do hotel, proporcionando momentos de calma, tranquilidade e paz. Um grande alento na minha jornada. Embora pequena, essa flor encanta pelo perfume delicado, que envolve o espírito e eleva a alma. Inesquecível minha experiência no Turcomenistão, eternizada pelo perfume da flor de laranjeira.

E para finalizar, quando podemos esperar um segundo passo nessa jornada linda que é abrir um negócio que alimenta, além das suas almas, tantas outras?

Marina e Helena: Temos muitos planos, mas seguimos acreditando que o caminho e as surpresas nele irão nos direcionar para as melhores escolhas. E logo logo, lançaremos novos produtos. Estamos apenas começando!