Maria Eugênia Cordeiro usa sua imagem para empoderar e inspirar
Foto: Reprodução/Instagram/@mariaeucor

Perfil bom para acompanhar nas redes sociais é aquele que une reflexões, alto astral e dicas de como deixar a vida mais leve – melhor ainda se for com muito bom humor. Para quem busca pessoas com essas características precisa conhecer Maria Eugênia Cordeiro, uma influenciadora que compartilha diferentes aspectos da sua vida: da sua paixão por beleza e moda a receitas e seu relacionamento com o corpo.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

O conteúdo criado por Maria é tão bonito que dá para perder horas mergulhado em sua estética única. Com 24 anos, a influenciadora joinvilense conquistou 318 mil seguidores no Instagram e 1,7 milhão no Tik Tok ao apresentar sua visão de mundo baseada em seu lifestyle e ao levantar bandeiras de empoderamento feminino, amor próprio, autocuidado, feminilidade dentro do muno LGBTQIAP+ e moda para corpos livres.

Para inspirar ainda mais pessoas com suas dicas e bom humor, a Bazaar conversou com a influenciadora, que deu mais detalhes da sua rotina de skincare, maquiagem e autoestima.

Maria Eugênia Cordeiro usa sua imagem para empoderar e inspirar
Foto: Reprodução/Instagram/@mariaeucor

Harper’s Bazaar – Qual é o seu maior segredo de beleza?

Maria Eugênia – Acho que, na vida adulta, até um boleto pago é um segredo de beleza (risos). Mas sendo mais literal, acho que acessórios dourados arrasam e um bom look monocromático com uma fenda na perna já levanta minha autoestima. Skincare em dia, jobs preenchendo a agenda e uma boa comidinha são meus segredos de beleza. Acho que cada pessoa tem uma lista de coisas que fazem ela ficar mais bela e nem sempre é um cosmético. E é sobre isso!

Como é a sua rotina de skincare?

Não sou eu quem escolho, mas minha própria pele a cada dia. Como ela vai mudando, vou adaptando os produtos conforme o que minha pele pede – a pele da mulher brasileira, né? Enfrenta três estações em um dia. Mas o padrão é: tiro minha maquiagem com bálsamo demaquilante e depois uso um limpador facial. Depois disso, entendo qual é a necessidade da minha pele e escolho entre um hidratante, uma vitamina C, algum sérum preenchedor, etc.

Quais produtos não faltam no seu nécessaire?

Há um tempo, sabonete resolvia tudo, mas a idade vai chegando, a pele vai mudando e, hoje em dia, não vivo sem meu limpador  e hidratante faciais, protetor solar, hidratante labial, sabonete de glicerina para colocar as sobrancelhas para cima e uma máscara de cílios. Sou bem básica! (risos)

Maria Eugênia Cordeiro usa sua imagem para empoderar e inspirar
Foto: Reprodução/Instagram/@mariaeucor

Qual é a sua tendência de maquiagem preferida do momento?

São duas tendências supermodernas que me acompanham: a primeira são as “savage brows”, que jogo a sobrancelha para cima usando sabonete de glicerina e um pincel. Deixa o olhar levantado, selvagem e ousado. A outra que amo é o delineado gráfico – quanto mais curvinhas, melhor. E com essa técnica, dá para ousar nas cores, colocar glitter. Independente do que você fizer, a modernidade tá garantida. Resumindo, as minhas técnicas favoritas são as que me deixam com cara de fashionista passeando pela semana de moda de Paris com dois reais no banco.

Qual conselho você daria para quem quer ousar mais na hora do make?

O importante é ter a maquiagem como uma forma de expressão, para fazer parte da sua personalidade, uma extensão de quem você é. Não enxergar como algo para te padronizar. Assim como as roupas, a maquiagem é muito sobre como você está se sentindo naquele dia. Se joga no sentimento e, se você é uma pessoa básica nos looks, dá para ousar nas cores e texturas da maquiagem. Uma forma infalível é sempre estar atenta a novas referências em séries, filmes, Pinterest, Tik Tok, Instagram. O importante é fazer sentido para vocês.

O que faz parte da sua rotina de bem-estar?

Na era digital, o bem-estar começa com o que você consome na internet. Então, filtro muito bem as pessoas que sigo e as redes sociais que uso para meu dia ficar mais leve a partir daí. Como sou uma pessoa ansiosa, gosto de me manter ocupada – seja lendo, cozinhando, passando momentos com a minha família, trabalhando como uma boa capricorniana (trabalhar me relaxa, juro!), além de sempre comer frutas e beber bastante água.

Como definiria o seu estilo?

Começando pela minha paleta de cores, que é muito rígida, minha cabeça é cheia de informações. Então busco trazer algo mais minimalista e clean para os meus looks. Com uma pegada mais grunge, casual e sexy, monto meus visuais para mostrar bem minhas tatuagens e expressar o empoderamento do meu corpo. Você vai sempre ver muito corpo à mostra e sensualidade.

Maria Eugênia Cordeiro usa sua imagem para empoderar e inspirar
Foto: Reprodução/Instagram/@mariaeucor

Como suas tatuagens fazem parte da construção da sua imagem?

Ter várias tatuagens, para mim, é mais do que sobre estilo. A cada nova tatuagem, me sinto mais pertencente ao meu próprio corpo. Me encontro na minha pele e me empodero cada vez mais. Parece que se tenho dificuldade em aceitar alguma parte do meu corpo, a tatuagem faz eu me amar mais. Lembro que, quando não tinha tatuagens, literalmente me sentia incompleta. Era como se nunca conseguisse expressar quem sou, então as tatuagens são a minha imagem.

Como foi o processo para entrar no universo do body positive? Sempre teve uma alta autoestima?

Não, foi uma construção. Andar com pessoas que me aceitam e me empoderam e procurar marcas que me vestem com conforto foram parte do meu processo para respeitar o meu corpo. Estar com pessoas que se parecem comigo, seguir nas redes sociais quem têm corpos semelhantes, tudo isso fez eu começar a olhar para mim com mais carinho. Percebi que não é sobre “não poder mudar o corpo”. É sobre o seu corpo ser livre, ele vai mudar ao longo da vida e o importante é você não odiá-lo nessas mudanças.

O que não abre mão na hora de inspirar as pessoas através do seu conteúdo? Qual a importância de falarmos cada vez mais sobre o body positive?

A melhor descoberta da minha vida foi o poder da vulnerabilidade. No começo, não sabia como me comunicar com as pessoas e de que forma falar sobre determinados assuntos. Hoje em dia, é tudo mais claro porque percebi que é só ser eu mesma. No meu Instagram, gosto de apresentar uma vibe mais comfort content. Então não é sobre ter a verdade ou educar as pessoas. É apenas eu vivendo minha vida, como uma mulher gorda, lésbica, tatuada, empresária e isso já carregar toda a militância – mesmo sem militar. Quando vou falar de assuntos delicados, acho importante sempre trazer muita empatia e entender que tem gente que não pensa igual a mim – deixo isso muito claro, para todes se sentirem muito bem de estarem ali, sem sentimentos de ataque. São pequenas pontuações durante Stories ou posts que faço, em que mostro o meu dia a dia, que fazem os próprios seguidores terem insights sobre body positive e isso mudar a vida deles. Porque quando a mudança vem de um insight próprio, é muito mais fácil de colocar em prática.

Quem te inspira?

As maravilhosas Letticia Munniz, Laila Loves, Denise Mercedes, Rochelle Johnson e Roberta da Silva. Todas elas apresentam conteúdos de body positive e têm corpos reais, que é o verdadeiro “padrão” de beleza e o que mais existe no mundo: mulheres com curvas, marcas, manchas e muito orgulho da história do seu próprio corpo.

Qual conselho você daria para quem quer dar um boost na autoestima?

Siga pessoas nas redes sociais que se assemelham ao seu corpo. Ande com pessoas que te enaltecem, empoderam e fazem bem. Isso já é metade do caminho. E, importantíssimo, faça terapia. Com este pacote, tudo fica menos difícil e, com o tempo, um dia você vai perceber que passou um dia inteiro sem se criticar.