Foto: reprodução/ Bazaar
Foto: reprodução/ Bazaar

Por Luísa Graça

Quem viu Lizzy Capplan em filmes como Meninas Malvadas ou Quatro Amigas e um Casamento pensa nela como “aquela garota do humor ácido”. Se você é mais fã de moda do que de cinema, deve se lembrar da atriz num fashion film bem humorado lançado pela Venacava em 2013, com direção de Matthew Frost, chamado… Fashion Film. O curta tira onda dos clichês estéticos e narrativos dos filmes de moda da época e, claro, de suas protagonistas etéreas que caminham de salto alto por jardins enquanto falam baixinho.“Não há muito senso de humor na moda e isso parece esquisito. Sim, moda é arte e beleza, mas, come on, há tantas coisas das quais podemos rir nesse contexto”, diz a atriz.

Lizzy aparece radiante no encontro com Bazaar em Beverly Hills, a bordo de um vestido LK Bennett, estampado em tons de azul e rosé.“Hoje entendo o poder de uma mulher mais bem vestida”, diz, logo depois de confessar que não tinha o menor interesse por moda até começar a trabalhar na série de TV Masters of Sex.

Irônico, pois um dos pré-requisitos desse trabalho é não usar roupa. em Masters, na terceira temporada na TV brasileira (HBO), CaplanVirginia Johnson, protofeminista e sexualmente esclarecida que, nos anos 1950, se torna secretária do ginecologista William Masters (Michael Sheen) e passa a colaborar com ele em estudos sobre a sexualidade, observando voluntários engajados no ato – e até participando da pesquisa eles mesmos. “Me admira que hoje ainda estejamos preocupados se é estranho ou não um homem cuidar da casa enquanto a mulher sai para trabalhar. Ainda vivemos de caça, por acaso?”, ironiza.

Masters of Sex, que tem uma abordagem analítica com personagens complexos, portanto diferente de seus trabalhos anteriores, mudou o jogo para Lizzy.“Sempre me vi como atriz de comédia e nunca achei que fosse conseguir esse papel. isso só aumentou minha confiança.”

Assine a Harper’s Bazaar Brasil