Foto: Fernanda Fehring

Por Fernanda Fehring

Carrie e Alex Vik se conheceram durante uma festa em Harvard, casaram-se seis anos mais tarde em Nova York e mudaram-se para uma casa em Greenwich construída por um Rockefeller, e de propriedade dela. Carrie é americana, Alex norueguês e ambos são apaixonados por arte – e se tornaram colecionadores ainda muito jovens

Foto: Fernanda Fehring

Com negócios em áreas que vão desde alta tecnologia, seguros e propriedades até hotelaria e vinhos, os Vik e seus quatro filhos residem em Mônaco desde 2001, de onde partem frequentemente atrás de novas localizações para seus hotéis. E foi justamente uma visita ao Uruguai, terra da mãe de Alex, que influenciou a compra de uma estância em José Ignacio. Escolhida inicialmente como casa de veraneio para trazer os amigos da família, a propriedade se transformou, mais tarde, no primeiro hotel do grupo, o Estancia Vik.

Foto: Fernanda Fehring

Hoje, o portfólio de estabelecimentos Vik na América do Sul já conta com três hotéis de luxo e um hostel em José Ignacio, um vinhedo e um hotel no Chile, o parador de praia La Susana e o centro de bem-estar Shark Yoga, ambos localizados no hotel Bahia Vik. Como pontos em comum, seus hotéis têm uma ligação forte com a arte – sempre ressaltando o trabalho de artistas uruguaios – e quartos decorados de forma criativa e original. Mas destacaria a excelente localização de cada propriedade como ponto forte dos hotéis Vik, já que todos ocupam posições privilegiadas no cenário de José Ignacio.

José Ignacio

A 40 quilômetros de Punta del Este, José Ignacio era um pequeno e tranquilo vilarejo de pescadores até fazer uma lenta transição para balneário de luxo a partir dos anos 1970. O movimento, que começou com algumas famílias abastadas construindo casas de veraneio na praia, consolidou o destino como point de badalação low profile quando um jovem e desconhecido chefe argentino chamado Francis Mallmann abriu seu primeiro restaurante por lá. Desde então, José Ignacio virou uma opção mais cool e descolada (com um jeitinho boho chic) do que a vizinha Punta, com seus arranha-céus, cassinos e boutiques de designers.

Foto: Fernanda Fehring

Com praias tranquilas e uma população minúscula (que aumenta muito durante os meses de verão e alta temporada), o local tem como foco principal a gastronomia, com ótimos restaurantes e vinícolas por perto, e a arte, com excelentes galerias, museus e centros culturais. Na hotelaria de luxo da região o destaque vai, indiscutivelmente, para os Hotéis Vik e seus acervos de arte de dar inveja a muitos pequenos museus mundo afora.

Estancia Vik

O primeiro hotel que visitei durante minha viagem ao Uruguai, o Estancia Vik, foi aberto em 2009 e tem projeto do arquiteto uruguaio Marcelo Daglio. Com apenas 12 suítes, cada uma decorada de forma diferente e batizada em homenagem a um artista, o hotel ainda hoje continua com jeito e aconchego de casa de amigos. A propriedade, linda de morrer, é uma casa de fazenda em estilo colonial espanhol, cercada por generosas varandas, bonitos arcos e, ça va sans dire, decorada com obras de arte importantes.

São tantas as instalações, painéis, esculturas, colagens, móveis antigos e pinturas, que o hotel mais parece uma (importante) galeria de arte.  O destaque vai para artistas uruguaios como Pablo Atchugarry, autor da escultura que orna o centro da impressionante sala de estar, e Clever Lara, criador do extraordinário painel (com imagens de províncias uruguaias) pintado no teto do mesmo ambiente. As enormes ametistas expostas como quadros nas paredes vêm das reservas do norte do país e são extraordinárias.

A localização do hotel é de sonho, dentro de um terreno de 4.000 acres de campos verdes, tranquilos e silenciosos, onde o gado e os cavalos da estância passeiam despreocupadamente. A brisa sempre presente, nos lembra que estamos a apenas 15 minutos de distância das praias de José Ignacio. A 40 km dali, está Punta del Este, e a 30 minutos (para a outra direção), situa-se o povoado de Garzón, berço da incrível vinícola Bodega Garzón e de alguns restaurantes do celebrado chef argentino Francis Mallmann.

A gastronomia do Estancia Vik é descomplicada e traz pratos locais como empanadas, ojos de bife e buñuelos. O assador fica em um dos ambientes mais bonitos da propriedade e serve carnes locais feitas na parrilla.

Como atividades, há opções como cavalgadas, passeios de bicicleta, caiaques na lagoa, tênis, partidas de polo (para quem já pratica o esporte) e jogos como sinuca, pingue-pongue e totó. No verão, a bela piscina convida a ler um livro e pegar ao sol, e no outono a leitura pode ser feita em frente a uma das várias lareiras do hotel.

Foto: Fernanda Fehring

De tudo o que fiz por lá, foi o passeio de cavalo ao pôr do sol que tocou meu coração. Um belo jeito de começar uma viagem por um país encantador como o Uruguai.

Playa Vik

Em seguida, já na praia de José Ignacio, fomos conhecer o próximo hotel do grupo – e que hotel! Com projeto espetacular do arquiteto uruguaio Carlos Ott, o Playa Vik reina sozinho em uma das melhores localizações da Playa Mansa, uma praia de ondas suaves que tem em sua maioria casas de veraneio.

O lugar impressiona. O prédio principal, batizado de “Escultura” é todo feito em titânio e vidro, tem design arrojado, com uma fachada de 16 metros quadrados, e abriga obras de arte de peso. Já na entrada, avista-se uma escultura em acrílico (em forma de banco) de autoria de Zaha Hadid, e ao fundo vê-se a espetacular piscina de borda infinita – palco do pôr do sol mais famoso de José Ignacio. Ainda no prédio, encontra-se uma obra de Anselm Kiefer, outra escultura de Zaha Hadid, em formato de mesa, e uma instalação do artista americano James Turrell. De babar.

Além da “Escultura”, o hotel tem mais seis casas de dois e três quartos com paredes de vidro e telhados decorados com canteiros de grama – uma técnica de resfriamento, que além de emprestar charme às casitas, garante que a temperatura do interior das casas permaneça sempre fresca.

Foto: Divulgação

Seguindo a linha dos outros hotéis VIK, os quartos são decorados com obras de arte – pinturas e colagens, e com móveis de design. Todos eles têm vista para a praia e para o tranquilo jardim do hotel, o que dá um ar aconchegante de vilarejo (chique) ao hotel. Na propriedade, há ainda um spa, uma academia e uma pequena lojinha com artigos como pulôveres e vestidos para a praia.

O hotel tem uma gastronomia descomplicada que favorece produtores locais. O restaurante Cielomar, no prédio principal, traz uma boa carta de tapas para o jantar enquanto o grill, localizado no jardim, serve frutos do mar fresquíssimos. O Playa conta ainda um boma (fogueira rodeada por sofás ou cadeiras) que de tão charmoso, pode facilmente ser eleito como um dos locais mais bacanas de José Ignacio para se tomar um drink.

Foto: Divulgação

Bahia Vik

Para fechar a estadia com chave de ouro, fui conhecer o Bahia Vik, o mais recente e o maior dos hotéis Vik em José Ignacio. Seus 37 quartos – dos quais dez estão no prédio principal e o restante nos 11 bangalôs espalhados pelo terreno – também têm decoração diferente entre eles e expõem obras como pinturas, colagens e instalações.

Os banheiros dos quartos são um show à parte, com decorações originais e muito criativas.

Dentre as obras de arte do hotel, o destaque vai para o enorme painel do artista uruguaio Carlos Musso, que tem como tema os 12 símbolos astrológicos e decora toda a extensão do teto do restaurante Zodiaco. Nas paredes, enormes portraits dos membros da família dão um toque mezzo-surreal ao ambiente.

Foto: Fernanda Fehring

O Bahia está localizado sobre as dunas da Playa Mansa e sua área abriga ainda um centro de convenções, um spa, um centro de yoga e quatro piscinas com vista limpa para o mar. Um salão de jogos com mesa de pingue-pongue e totó agrada as crianças (e seus pais) e a charmosa boutique do hotel tem a melhor curadoria de todos os três hotéis do grupo.

A gastronomia é descomplicada e tem como “joia da coroa” o parador de praia La Susana, um dos mais charmosos e badalados de José Ignacio. Ali é possível almoçar um peixe fresco ou um bom ojo de bife durante o dia e cair na balada durante a noite, quando um DJ anima o ambiente. Os vinhos servidos são os vinhos da casa – VIK ou Garzón – duas excelentes opções.

O que fazer na região

Quem vai a José Ignacio volta de lá sempre com uma lista caprichada de restaurantes e lojinhas, centros de arte e vinícolas. Então, como não poderia deixar de ser, abaixo minha “hot list” do destino.

Foto: Fernanda Fehring

Na gastronomia, os destaques vão para os paradores de praia La Huella, Chiringuito de Francis Mallmann e o La Susana, no hotel Bahia Vik. Panadería é “o’ lugar para comprar delícias para o café da manhã, e Mostrador Santa Teresita é uma charmosa opção para café da manhã, brunch ou almoço durante a alta temporada. O Cruz del Sur Farm, é um mix de restaurante farm-to-table, butique e galeria de arte. De morrer de tão charmoso.

No quesito lojinhas, as mais charmosas são a Sentido, a La Esteña e a Magma em José Ignacio. E ainda a multimarcas brasileira A.mar das empresárias Andrea Vieira Baptista e Marina Ciconet.

O roteiro cultural é riquíssimo e em José Ignacio tem os imperdíveis Sky Space do artista americano James Turrell, e a Fundación Pablo Atchugarry. Já em Manantiales, o recém-aberto museu MACA Museo de Arte Contemporáneo de Atchugarry (sempre ele) tem design de ninguém menos do que Carlos Ott, é parada obrigatória.

Foto: Divulgação

Como se não houvesse atrações suficientes neste lugar delicioso, a região ainda abriga a excelente vinícola Bodega Garzón, que merece uma visita não só por suas belíssimas instalações e vinhedos, mas também por seu restaurante maravilhoso. No menu, empanadas de comer rezando, massas, saladas fresquíssimas e cortes de carnes assados na parrilla com perfeição. O menu é assinado pelo consultor gastronômico da bodega – ninguém mais ninguém menos do que ele mesmo, Francis Mallmann.

Impossível não se apaixonar por esse lugar.

Foto: Acervo pessoal/Fernanda Fehring

Estancia Vik

Camino Eugencio Saiz Martinez
Departamento de Maldonado, Uruguai
+ 598 94 605 212

Playa Vik

Esq. s/n, Calle de Los Cisnes & Calle Los Horneros,
José Ignacio,
Departamento de Maldonado, Uruguai
+598 93 704866

Bahia Vik

Route 10, 20402 José Ignacio,
Departamento de Maldonado, Uruguai
 +598 95 844 44

www.vikretreats.com
@vikretreats

@fernandafehring é formada em Hotelaria, Gastronomia e Turismo pela Universidade de Surrey, na Inglaterra, e em Cozinha pela École Le Cordon Bleu, de Paris. Foi expatriada por 18 anos, morando em países como Inglaterra, Alemanha, China, França e África do Sul. Mas é no Rio de Janeiro que Fernanda se sente mais feliz. Formada pela McQueens de Londres, Fernanda teve um ateliê de flores durante seis anos no Rio. Trabalha atualmente como curadora de viagens e colunista, e sua grande paixão são as viagens de natureza e de isolamento. País preferido no mundo? África do Sul. Viagem dos sonhos? Alasca.