Foto: Divulgação

Por Fernanda Fehring

Conhecer um dos “hotéis-palácio” de Courchevel era algo com o qual sonhava havia bastante tempo. Não era a melhor época para fazer uma viagem como essa, confesso, pois os casos de Covid já voltavam a avançar pela Europa e eu ainda me recuperava da influenza A que havia contraído no Rio. Mas como dizer não a um convite para conhecer um hotel tão especial quanto o L’Apogée Courchevel? 

Foto: Fernanda Fehring

Fazia anos também que não visitava a belíssima Courchevel. Aliás, a estação foi o primeiro lugar que esquiei (muitos anos atrás) – numa época da vida que a qualidade do après-ski ou da balada importavam muito mais do que as condições perfeitas de esqui que Courchevel oferece. Voltar anos mais tarde, já com as prioridades em seus devidos lugares, seria uma oportunidade também para aproveitar direito o esqui extraordinário da região e investigar mais a fundo a gastronomia e hotelaria do local. Então, foi com muita alegria que aceitei ao convite do diretor geral do hotel, o gentilíssimo Sr. Duarte Sousa, e parti para conhecer um dos hotéis mais extraordinários que já tive o prazer de visitar. 

Foto: Fernanda Fehring

Courchevel

Localizada no coração dos alpes franceses, na região da Auvergne-Rhône-Alpes, no departamento da Savoie, Courchevel é rodeada por densas florestas de pinheiros, lindas montanhas e picos impressionantes, entre eles o esplêndido La Saulire de 2.700 m de altitude. O resort de Courchevel é formado por seis vilarejos, batizados de acordo com suas altitudes: Courchevel 1.850, a área mais exclusiva; Courchevel 1.650 (Moriond); Courchevel 1.550 (Courchevel Village); Courchevel 1.400 (La Tania); Courchevel 1.300 (Le Praz) e Courchevel 1.100 (Saint Bom). O resort é também uma das oito estações de esqui que formam a área dos Trois Vallées – ou Três Vales – a maior área de esqui do mundo, com 600 km, mais de 300 pistas e 180 lifts. Os outros resorts que completam a área são Méribel, Brides-les-Bains, Saint-Martin-de-Belleville, Les Menuires, Val Thorens e Orelle. 

Foto: Fernanda Fehring

Courchevel é o resort de esqui mais exclusivo da França e tem boas razões para isso. Enquanto tem a reputação de ser um “playground” de ricos e famosos, apinhado de oligarcas russos e celebridades do calibre de Will e Kate, o sucesso da estação veio graças a uma combinação de fatores – e muito planejamento. 

Foto: Fernanda Fehring

Arrisco afirmar que a razão número um para tamanho sucesso é ter uma das melhores áreas de esqui do mundo – e isso não veio de graça. Courchevel foi uma estação de esqui planejada e construída do zero pelo governo francês durante a segunda guerra mundial. O objetivo era mesmo criar um “super resort”, em uma área entre 1.400 m e 1.800 m de altitude, com a instalação de um sistema de lifts confiável e o desenvolvimento de uma enorme área de esqui. 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

Com a ajuda de dois exímios esquiadores moradores da região, a área do que ocupa atualmente o Trois Vallées foi escolhida a dedo e o resort começou a ser desenvolvido. Sendo assim, suas pistas são, predominantemente, viradas para o norte, o que garante que a neve de Courchevel está sempre em perfeitas condições. Junte-se a isso o investimento anual de cerca de € 30 milhões a € 40 milhões para manter suas pistas e lifts em ótima forma – Courchevel é uma das poucas estações do mundo na qual a “dameuse” (veículo usado para manter a qualidade da pista) é usado duas vezes por noite. O resultado é simplesmente espetacular.  

Foto: Divulgacão

Hotelaria, gastronomia e arte

Em 1961, veio a construção do Altiport de Courchevel, o primeiro aeroporto internacional de montanha e conhecido por ter uma das menores pistas de pouso do mundo, de apenas 525 metros de largura. Pode-se dizer que a construção de tão charmoso aeroporto, e o começo dos voos diretos entre Paris e Courchevel nos anos 1970, ajudaram a atrair um público de poder aquisitivo alto para suas pistas. Mas foram as Olimpíadas de Inverno na vizinha Albertville, em 1992, que consolidaram Courchevel como a “capital do luxo na neve”. A partir daí, o resort virou um polo de alta gastronomia e dono de uma rede hoteleira de luxo como poucas no mundo. 

Foto: Fernanda Fehring

Atualmente, Courchevel é o lugar com o maior número de hotéis cinco estrelas do mundo em relação ao tamanho de sua área, conta com cinco “hotéis palácio” e tem 14 estrelas do guia Michelin divididas entre 8 restaurantes. Nomes de peso da gastronomia francesa como Pierre Gagnaire, Stephane Buron, Yannick Alléno, Jean-Remy Caillon e Jean-André Charial são alguns dos chefs que comandam restaurantes com estrelas Michelin em Courchevel. E a tradição gastronômica se estende também para as pistas, com ótimas opções de restaurantes e bares disponíveis para o almoço e para o après-ski.

Foto: Fernanda Fehring

Em um lugar tão especial, a arte não poderia ficar de fora. A cada inverno, Courchevel se transforma em um museu a céu aberto através da exposição “L’art au sommet” (Arte no Cume), que exibe trabalhos de arte contemporânea no topo de suas montanhas, em suas ruas e até nos lifts. Esta iniciativa começou há dez anos e já apresentou trabalhos de Richard Orlinski, Salvador Dali, Julien Marinetti e David Cintract, entre outros. Na temporada de 2021-2022, Richard Orlinski trouxe seus “Kongs” e encantou a todos com a criatividade de seu trabalho. Mais charmoso impossível. 

Foto: Fernanda Fehring

O hotel

De propriedade do empresário francês Xavier Niel, o L’Apogée Courchevel abriu suas portas em 2013 no Jardin Alpin, a área mais exclusiva e disputada de Courchevel 1.850. A propriedade faz parte do selo Oetker Collection Masterpiece Hotels, que conta com um portfólio de 11 hotéis espetaculares espalhados pelos quatro cantos do mundo. O grupo hoteleiro é conhecido por ter em seu DNA uma forte ênfase em excelência de serviço e por sua coleção de propriedades icônicas. O L’Apogée Courchevel não foge desta regra.  

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

O hotel é um dos cinco estabelecimentos de Courchevel que foram laureados com a “distinction Palace” (distinção palácio), uma categoria criada em 2010 para hotéis que são reconhecidos como excepcionais, que traduzem o padrão de excelência francês e que contribuem para tornar a França um destino turístico atraente. Algo como se fosse uma sexta estrela. Desta forma, todos os 31 hotéis do país que receberam este tipo de honraria, podem ser chamados de “hotéis-palácio”.

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

O local tem projeto conjunto de dois renomados arquitetos e designers de interiores, a franco-iraniana India Madavi e o francês Joseph Dirand. A dupla se uniu para criar um hotel com o conceito de uma “mansão nas montanhas”, um lugar sofisticado, mas com ambiente caloroso e descontraído, e que tivesse, acima de tudo, autenticidade. Praticamente tudo foi feito sob medida para os interiores, desde o mármore Fior di Bosco dos banheiros, até as cadeiras com a logomarca do hotel em seus encostos. O resultado, como não poderia deixar de ser, ficou encantador. 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

Acomodações

O prédio principal do hotel conta com 53 quartos e suítes extremamente aconchegantes, com aquele jeito de “casa longe de casa” que tanto amamos. Dentre eles, 20 são quartos da categoria Prestige e Deluxe, e 35 são suítes de um ou dois quartos. Cada suíte conta com uma pequena entrada, um lugar para sentar e tirar os sapatos, ou pendurar seu casaco. Um pequeno detalhe, mas que faz com que cada hóspede sinta como se estivesse em seu próprio chalé. 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

A decoração dos quartos é belíssima, com destaques para o lindo tapete em Vichy preto e branco e a marcenaria impecável. A cabeceira da cama, em belo tom de verde, casa perfeitamente com o azul das paredes, e ainda exibe o delicado floco de neve – a logomarca do L’Apogée. Os banheiros em estilo retrô são deslumbrantes e contam com uma ótima banheira e uma área de penteadeira separada – um luxo que não passa despercebido por quem gosta de passar seus cremes à noite. (rs) As amenities são da querida marca francesa Dyptique e os presentes aos hóspedes (jaquetas e pantufas) vêm com o nome do hotel gravado. Um carinho e um souvenir para guardar para sempre. 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

A vista da minha suíte era algo de capotar de tão bonito. De frente para as montanhas e ainda com dois teleféricos passando coladinhos na minha varanda. Um cenário que parecia saído de conto de fadas. Lindo!

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

Dentre todas as suítes, a mais espetacular do hotel é a Penthouse Suite, que tem impressionantes 300 metros quadrados, uma estrutura completa com sala de estar e jantar, um ofurô externo e que acomoda até 9 pessoas. O L’Apogée tem ainda dois chalés em sua propriedade, o Chalet L’Amarante e o Chalet L’Alpensia. Ambos são opções de acomodações de casas privadas com o serviço impecável do hotel. 

Foto: Divulgação

Gastronomia

No quesito gastronomia, o hotel está muito bem servido A começar pelo charmoso Bar de L’Apogée, que serve refeições leves e drinks. Sua varanda com vista para a montanha e poltronas com mantas de ovelha é puro charme – o lugar perfeito para tomar um drink após o esqui, comer um croque monsieur ou um risoto aux truffes (ambos deliciosos). 

Foto: Acervo pessoal

 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

À tarde, é servido um chá com direito a um carrinho com bolos, tortinhas, bombas e tudo mais que amamos na confeitaria francesa. O ambiente do bar é aconchegante e tranquilo. Á noite, o local oferece também música ao vivo. 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

O restaurante gastronômico Le Comptoir de L’Apogée tem menu contemporâneo assinado pelo chef Jean-Luc Lefrançois e serve café da manhã e jantar. No nosso jantar por lá, começamos com uma tartine aux truffes divina, seguida de ravióli com legumes. 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

Para acompanhar, um Nuits St. Georges escolhido pelo sommelier. Na saída, meu coração parou por um segundo ao avistar a maior seleção de queijos que já vi. (rs) 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

O hotel conta também com o ótimo restaurante japonês Koori, que serve pratos clássicos da culinária japonesa elaborados de forma impecável. Por estarmos exaustos de um dia de esqui, optamos por provar os pratos do Koori no room service e recebemos em nossa suíte uma excelente seleção de sushis e rolls. 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

O hotel conta ainda com o Cigar Lounge, um espaço extremamente aconchegante para apreciadores de charutos. De ambiente agradável e acolhedor, com enormes sofás e uma grande lareira, o lounge é também uma boa opção para o hóspede tomar um drink antes dormir. 

Foto: Fernanda Fehring

Não poderia deixar de mencionar a qualidade da padaria e da confeitaria do L’Apogée. Tenho o maior respeito por quem serve ótimos pães e viennoiseries a seus hóspedes, já que eu mesma trabalhei (durante meu período de trainee em hotelaria em Hong Kong) na padaria do hotel. Tudo que provei no hotel estava realmente sensacional e deixo aqui meus parabéns ao novo chef pâtissier Malo Le Cras.  

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

Ski in/ski out

No subsolo do hotel, encontra-se a loja de roupas e aluguel de equipamento para esquiar: esquis, botas, bastões e capacetes. A equipe da Ski Boutique  L’Apogée é prestativa e gentil e ao término de nossa escolha, nossos esquis já nos esperavam prontíssimos do lado de fora da loja (com uma plaquinha adjacente com o número de nossa suíte).  Um luxo! 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

De lá, um pequeno percurso de esqui já nos levava até a Croisette, o local central de Courchevel 1.850, de onde saem vários lifts para diferentes pistas. Por sugestão de Antônio, concierge do hotel, já subimos direto até o cume da Saulire e de lá começamos o nosso dia de esqui pela bela região.

Foto: Acervo pessoal

 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

Spa & wellness

A área de spa e wellness do hotel é um capítulo à parte. Localizada no subsolo, abriga uma completíssima academia de ginástica, um salão de beleza, sauna seca e a vapor, o Spa L’Apogée by La Prairie e uma fantástica piscina aquecida de 11 metros. 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

O Spa by La Prairie conta com cinco salas individuais para tratamentos e uma dupla, para tratamentos para casais. Ça va sans dire que todos os produtos usados nos tratamentos corporais e faciais do spa são da marca suíça La Prairie. Após um dia intenso de esqui nas pistas, nada melhor do que uma visita ao spa para ficar novo em folha. Dos Deuses! 

Foto: Fernanda Fehring

Para famílias

O hotel conta com várias atrações bacanas para famílias que viajam com crianças. A começar pelo Kids Club, o maior dentre todos os hotéis de Courchevel. O espaço supercolorido é divido para acomodar diferentes grupos etários e conta com mesa de pingue-pongue, totó e vídeo games para os mais velhos, e livros e brinquedos para os pequenos. O hotel oferece ainda tratamentos do spa para crianças e jovens, e organiza aulas de esqui e snowboard para quem está estreando nas pistas. Um serviço de baby-sitters também está disponível para os hóspedes do hotel. 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

A equipe

Sou uma grande admiradora da Oetker Collection, adoro o grupo desde a primeira vez que estive em um dos hotéis de seu portfólio, o sensacional Palácio Tangará, em São Paulo. Ali já soube que se tratava de algo muito especial, de um grupo hoteleiro que oferecia um nível de serviço extraordinário. 

Em minha visita ao L’Apogée pude mais uma vez experimentar uma cordialidade e atenção ao detalhe incomparáveis. O hotel tem um nível de hotelaria altíssimo, com uma equipe extremamente profissional, gentil e afinada. Junte-se a isso, um dos mais belos hotéis dos alpes, em uma localização idílica e o que se tem é uma experiência inesquecível.

O L’Apogée realmente merece o título de “hotel palácio”, não somente por ser um hotel excepcional, mas, principalmente, por saber fazer com que cada hóspede se sinta como realeza. 

Foto: Fernanda Fehring

L’Apogée Courchevel 
5, Rue Emile Allais
Courchevel, France
@lapogeecourchevel
www.oetkercollection.com

@fernandafehring é formada em Hotelaria, Gastronomia e Turismo pela Universidade de Surrey, na Inglaterra, e em Cozinha pela École Le Cordon Bleu, de Paris. Foi expatriada por 18 anos, morando em países como Inglaterra, Alemanha, China, França e África do Sul. Mas é no Rio de Janeiro que Fernanda se sente mais feliz. Formada pela McQueens de Londres, Fernanda teve um ateliê de flores durante seis anos no Rio. Trabalha atualmente como curadora de viagens e colunista, e sua grande paixão são as viagens de natureza e de isolamento. País preferido no mundo? África do Sul. Viagem dos sonhos? Alasca.