Kika na porta do templo Tirta Empul, famoso na ilha por suas águas sagradas e rituais de purificação - Foto: Arquivo pessoal
Kika na porta do templo Tirta Empul, famoso na ilha por suas águas sagradas e rituais de purificação – Foto: Arquivo pessoal

As viagens me inspiram muito e minhas favoritas são cheias de cultura, exotismo e clima tropical. Bali, na Indonésia, foi uma das experiências mais incríveis da minha vida, um lugar de magia inexplicável, fonte de criação para minha coleção de verão 2016 e, também, uma jornada espiritual.

Nunca tinha ido à Ásia. Recém-casada, viajei com meu marido, Rodrigo Ticoulat, no ano passado, e ficamos dez dias na ilha. Tinha acabado de perder meu pai, e costumo dizer que lá encontrei a cura e a paz para aquele momento que vivia. Voamos de São Paulo para Malé, nas Maldivas, nosso pit stop antes de fincar pés em Denpasar, capital de Bali. Escolhemos ficar em Ubud, uma cidadezinha no centro da ilha, local do resort Como Shambhala, um oásis verdejante. Fomos recebidos com colares artesanais lindos e coloridos, feitos com flores naturais. Para beber, chá de maçã com gengibre. Só isso e já entrei no clima zen!

Fontes naturais no templo Tirta Empul - Foto: Acervo pessoal
Fontes naturais no templo Tirta Empul – Foto: Acervo pessoal

Nosso quarto era uma suíte-casinha, com living, piscina e chuveiro a céu aberto com vista para os campos de arroz. A cama era decorada com flores de lótus (que, no hinduísmo, simboliza pureza e limpeza), e um incenso delicioso trazia um frescor muito bem-vindo. Uma vez, pedimos almoço lá mesmo e senti como se estivesse em minha própria casa no Oriente. Na propriedade, descia um caminho em meio à floresta, com cachoeiras, um rio mais abaixo e várias piscinas de água natural. A energia e a natureza, mescladas com aquela arquitetura orgânica, me impressionaram muito e inspiraram uma das estampas da coleção, que chamei de Abstract Architecture.

Quarto da villa Pita Linggar, no Como Shambhala - Foto: Divulgação
Quarto da villa Pita Linggar, no Como Shambhala – Foto: Divulgação

Durante a estada, fizemos muitos passeios. Agus, nosso guia, planejava tudo com detalhes. Antes de sair, no café da manhã, virou um must tomar o Tropic-Aid, um suco com manga, água de coco, papaia, laranja e limão, receita saudável para ativar os músculos, dizia o cardápio, uma delícia! Quando passeávamos de manhã, à tarde ficávamos no hotel relaxando nas piscinas e no spa, onde fiz a melhor massagem da minha vida.

Templo Pura Ulun Danu Bratan; macacos do Monkey Forest & Monkey Temple - Fotos: Arquivo pessoal
Templo Pura Ulun Danu Bratan; macacos do Monkey Forest & Monkey Temple – Fotos: Arquivo pessoal

 

Um dia, fomos ao Bali Zoo para andar de elefante e ver os animais. E, surpresa! Vimos um tigre branco, espetacular. Também visitamos o Monkey Forest & Monkey Temple, templo onde interagimos com macacos e nos divertimos muito. Outro dia, conhecemos o templo Tirta Empul (Água Pura), cheio de carpas no local onde brota água pura – inspiração para outra estampa do meu verão 2016. Nesse santuário, participamos do ritual da purificação: entramos de roupa na água, nos lavamos em fontes, fizemos pedidos e agradecemos. Saindo de lá, acendemos uma oferenda para os deuses. As rezas são feitas com flores coloridas – cada cor de flor tem um significado diferente. O hinduísmo, seguido pela maioria da população, me encantou pelos valores que cultiva: de amor à natureza, respeito, compaixão e simplicidade.

Terraço do restaurante Kudus House - Foto: Arquivo pessoal
Terraço do restaurante Kudus House – Foto: Arquivo pessoal

No roteiro incluímos o templo Pura Ulun Danu Bratan, maravilhoso, à beira do lago Bratan. E visitamos o curandeiro Cok Negari (um João de Deus balinês), que fez um trabalho espiritual incrível comigo e foi superatencioso com o momento difícil pelo qual passava.

Pôr-do-sol? Não me esqueço da cena no Tanah Lot Temple. À noite, íamos a restaurantes maravilhosos. Adoro comida spicy e lá tem muita. Recomendo o Bridges, o Mosaic e o japonês Minami. No hotel,comi um wrap de lagosta incrível, no Glow. Sonho sempre com Bali e, só de pensar, já me sinto zen.

Kika e o marido nos campos de arroz; a estilista na piscina do hotel - Fotos: arquivo pessoal
Kika e o marido nos campos de arroz; a estilista na piscina do hotel – Fotos: arquivo pessoal