Por Antonella Salem

Renata no Hotel d'Inghilterra Roma
Renata no Hotel d’Inghilterra Roma

Dois países, uma viagem para comer e dormir em alto estilo. “Foi assim que pensei em passar minha lua de mel, com conforto, sem muitos esforços ou ‘perrengues’. Afinal, o que mais uma grávida de seis meses, cansada do pós-casamento e de um ano inteiro de trabalho árduo poderia querer?” O roteiro, idealizado especialmente para Renata e o marido, Cassiano, foi desenvolvido pela Apptite Travel, agência butique da amiga Giovana Polotto, craque em viagens personalizadas. Primeira parada: as colinas e vinhedos de Franciacorta, na Lombardia, Itália. Depois, Roma, Paris e, por fim, Bordeaux, terra dos grandes Châteaux.

Renata no hotel Les Sources de Caudalie, em Bordeaux
Renata no hotel Les Sources de Caudalie, em Bordeaux

ONDE DORMIR

Detalhes do Jardim do Caudalie
Detalhes do Jardim do Caudalie

“Nas colinas de Franciacorta, região italiana linda conhecida por seus fabulosos espumantes, ficamos no L’Albereta, um Relais & Châteaux absolutamente encantador, com uma atmosfera que me fez sentir em casa. Aproveitei muito o hotel e andei pelos vinhedos. Lá, jantamos no Il Leone Felice, restaurante moderno com menu degustação que nos surpreendeu. Uma das entradas era um prato com ovo como ingrediente principal e vinha em uma louça imitando um ovo gigante! Em Roma, escolhemos o Hotel d’Inghilterra, clássico e imponente, onde adorei o lendário Café Romano. A pedida? Spaghetti cacio e pepe, com queijo de ovelha e pimenta preta.

Hotel La Réserve em Paris
Hotel La Réserve em Paris

Dormir em Paris? O La Réserve foi incrível, é considerado um dos melhores hotéis do mundo com tudo o que se pode esperar em luxo: conforto, mimos, serviço e comida excelentes. Detalhe: o café da manhã é servido em louça de prata, com pães e doces feitos lá, no restaurante Le Gabriel, que tem duas estrelas Michelin. Sempre tive de vontade de conhecer Bordeaux. Nosso destino: Les Sources de Caudalie, o hotel no coração das vinhas do Château Smith Haut Lafitte, conceituado pelo vinhos, a gastronomia e o spa com produtos cosméticos à base de extratos de uva. Amei a decoração rústica, repleta de detalhes em madeira.”

ONDE COMER

Restaurante Leone Felice, do L'Albereta, Franciacorta
Restaurante Leone Felice, do L’Albereta, Franciacorta

“Na região de Franciacorta, conheci vários restaurantes, como o Ristorante da Nadia, uma estrela Michelin, o Ristorante Il Priore, com uma vista incrível, e o Osteria Della Villetta, um lugar mega autêntico italiano, com toda a família no salão. Em Roma é bom ter um roteiro certo para não cair nas furadas de turista, pagar caro e comer mal! A melhor pedida foi o Sora Margherita, uma portinha minúscula, cadeiras velhas, paredes inteiras de fotos antigas, mas uma comida italiana que jamais vou me esquecer. A alcachofra frita é famosa, tem que pedir! Também fomos ao tradicional Roscioli, para comer uma boa massa alla matricciana e um caccio e pepe. Almoçamos dentro da adega, lá em baixo. Apesar de ser manjado, o Eataly de Roma é gigante, cheio de coisinhas gostosas para trazer para o Brasil, e o melhor, uma pizza maravilhosa. Super formal e chique, o Pipero Roma também foi imperdível. Escolhemos o menu degustação de seis etapas.

Pato com beteraba do restô Les Déserteurs, em Paris
Pato com beteraba do restô Les Déserteurs, em Paris

Paris era o destino mais esperado gastronomicamente falando. Amo os novos bistrôs de cozinha autoral. Na nossa primeira noite fomos ao Le Chateaubriand, que ocupa a 11ª posição da lista do The World’s 50 Best Restautants. Parte do Ema se deve a esse lugar: foi ali que eu conheci o conceito de salão despretensioso com menu degustação. O ceviche de snack é para comer de baldes! Outro parisiense que amo é o Clamato, ambiente super charmoso, estiloso, serviço divertido e um cardápio que muda diariamente só de peixes e frutos do mar. A sensação é o prato de ostras e caranguejo. Pedimos também os vôngoles, que foram os melhores da minha vida, ceviche com bastante coentro, delicioso, salada de inverno, lulas picantes, vieiras com pancetta e muito mais.

A ideia é pedir tudo para compartilhar. Não aceita reserva! Chegamos dez minutos antes de abrir e já tinha fila. Fomos, ainda, no GrandCoeur, ótimo para almoçar, menu du jour por 23 euros. Paredes antigas, com as luminárias modernas, sofás em tom de azul escuro e mesas de mármore com dourado… É super cool e cheio de parisiense! E uma noite jantamos no bistrozinho moderno Les Déserteurs, minúsculo de 25 lugares, menu seis etapas que muda diariamente. Cozinha bem criativa e gostosa. Para finalizar Paris, o restaurante Dersou é o mais falado
do momento.

Sobremesa do restaurante Clamato, em Paris
Sobremesa do restaurante Clamato, em Paris

Ahhh… Bordeaux. Nosso tour gastronômico foi praticamente dentro da propriedade do hotel Les Sources des Caudalie, que tem três restaurantes. O must é La Grand’Vigne, duas estrelas Michelin, comandado pelo chef Nicolas Masse. Tive a chance de conhecê-lo e de provar o menu degustação divino, elaborado com ingredientes regionais.”

Snack com foie gras e maçã, do Pipero Roma
Snack com foie gras e maçã, do Pipero Roma