por Cibele Maciet

“I love Paris in the spring time, I love Paris in the fall, I love Paris in the winter, when it drizzles, I love Paris in the summer, when it sizzles”… , já dizia Frank Sinatra. E essa é a sensação de quem chega em Saint-Germain, bairro mais literário e cativante da capital francesa.

Puro charme, é por ali que tudo acontece: os melhores bares, cafés, restaurantes, livrarias, editoras, sebos, galerias de arte, é a Paris do filme Midnight in Paris. Andando pelas suas ruelas, que, às vezes, somam mais de mil anos, pode-se até ter a impressão de bater um papo com Hemingway ou Scott Fitzgerald (ou, quem prefere algo mais atual, Françoise Sagan e Jean-Paul Sartre).

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Bem no miolo de Saint-Germain está o Relais Saint Germain, hotel quatro estrelas de Yves Camdeborde, chef que já participou de varios júris de competições de gastronomia na televisão francesa, conhecido pela sua cozinha intitulada bistronomia.

O local, que arrematou o prêmio de  Melhor Ambiente e imagem de hotel na Europa do conceituado Prix Villégiature Awards 2017, conta com 22 quartos, cada um decorado conforme um escritor ou escritora. Tem para todos os gostos: Frédéric Dard, Alexandre Dumas, Marguerite de Navarre, Georges Simenon, Balzac, Casanova, entre outros, todos com obras à disposição do leitor/cliente.

Os banheiros foram reformados recentemente e são cozy com banheiras e espelhos que acompanham a parede. A vista dos quartos dá para o Carrefour de l’Odéon, cantinho animado e repleto de restaurantes e bistrôs. O maior quarto do hotel, a junior suite tem 34m2 (lembre-se, para Paris é super grande!) e é um luxo.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Mas a grande vantagem de se hospedar no local é a possibilidade de testar o concorrido restaurante Comptoir du Relais e os bares de tapas L’Avant-Comptoir Terre (para beliscar carnes),  L’Avant-Comptoir Mer (petiscos do mar) e  L’Avant-Comptoir du Marché (em torno de vinhos e produtos frescos). O restaurante é um clássico da noite parisiense, e quem quiser experimentar, é bom se armar de paciência, entrar na fila e esperar uns bons 40 minutos antes de achar uma mesa (não existe reserva).

Mas vale a pena: Yves cria um menu familiar e ultra sofisticado ao mesmo tempo, como o delicioso Oeuf au plat aux truffes noires du Périgord et perles de vinaigre (Ovo com trufas negras e pérolas de vinagre), o Poulet rôti, crozets à l’encre et menthe (Frango assado, pasta com tinta de sépia e hortelã) e o Pied de porc désossé et pané, purée de pomme de terre (Pé de porco desossado e à milanesa com purê de batatas). Se estiver com vontade de testar a  sobremesa, peça o tradicional Baba au Rhum, um enorme pedaço de mal caminho.

Relais Saint Germain - Foto: Divulgação
Relais Saint Germain – Foto: Divulgação

Uma boa dica: o restaurante oferece o sistema de reserva para os clientes do hotel, o que pode quebrar muito o galho na hora de pular a tal fila! E para quem estará em Paris no final do ano, fica a sugestão de um lugar simpático para passar o réveillon. Um menu de rei a preços razoáveis e música para dançar all night long.

Comptoir du Relais
Comptoir du Relais – Foto: Divulgação

O lugar é pequeno mas é diversão garantida com os garçons exibindo seus passinhos de dança. O Comptoir du Relais serve de segunda à sexta, de meio-dia às 18h e das 19h30 às 21h30. Aos finais de semana, do meio-dia às 23h. E santé!