Giorgio Armani na flagship Armani Casa, em Milão - Foto: reprodução/Harpers Bazaar
Giorgio Armani na flagship Armani Casa, em Milão – Foto: reprodução/Harpers Bazaar

 

7:00
Sempre fui de levantar cedo. Antes, achava que fazia isso por ser minha obrigação, mas percebi que adoro seguir o ritmo natural do dia. Durmo com pijama leve e confortável, feito com o algodão mais macio. Gosto de usar algo bem diferente do meu uniforme do dia – isso serve como um tipo de ritual que induz ao sono. Depois de me levantar, vou para a academia para minha sessão diária de treino. Parece um regime quase militar, mas, na realidade, é uma rotina extremamente satisfatória. Não há nada de misterioso ou fora do comum a respeito dos meus exercícios. Faço ginástica durante uma hora e meia todos os dias com um personal trainer que estuda e muda as séries conforme a necessidade. O meu lema, que devo a Albert Einstein, é o seguinte: “Não podemos esperar que as coisas mudem se continuarmos a fazer tudo igual vez após outra”.

8:45
Tomar uma chuveirada me enche de energia e marca o fim da minha ginástica. Nunca poderia abrir mão de um bom hidratante, como o meu Armani Skin Minerals for Men, e da fragrância de Armani Prive Bois d’Encens. É sutil e estonteante. Depois, me visto, tomo café da manhã e leio os primeiros jornais do dia. Tenho uma dieta saudável e equilibrada, desrespeito as regras muito de vez em quando. O café da manhã é igual ao que eu tomava quando criança: um cardápio clássico de café, torradas e geleia, sempre acompanhado de frutas frescas e um iogurte ou croissant. É um certo excesso que me dá energia e me deixa de bom humor. Não demoro muito para escolher as roupas que vou usar e me sinto à vontade com um verdadeiro uniforme de trabalho: camiseta de seda, suéter de cashmere, calça de amarrar confortável – sempre azul-marinho – e tênis brancos. Tenho muitas dessas peças no meu guarda-roupa, assim como um blazer desconstruído. São fundamentais. Escolho os sapatos de acordo com a ocasião, geralmente tênis ou mocassins tipo Oxford para roupas formais.

9:15
Nunca carreguei bolsa, a única coisa que levo para o escritório é meu celular. A sede executiva e a de estilo ficam na Via Borgonuovo, em Milão, que é onde moro, por isso, posso ir a pé. Uso um carro com chofer quando preciso ir de um lugar a outro e costumo viajar com um colega. No carro, gosto de escutar música e notícias no rádio.

9:30
A primeira coisa que faço é passar no escritório para conferir a agenda do dia e escutar meus recados. Recebo dúzias e dúzias de e-mails e telefonemas todos os dias – seria difícil contar. Minha equipe e minhas secretárias respondem. Tendo em vista a quantidade recebida, é a única maneira de dar conta de tudo.

13:00
O almoço costuma ser um prato que não pese. Como uma fruta no lanche da tarde e bebo muita água, além de chás de ervas, quentes e frios.

Coleção de verão 2013 do estilista - foto: reproducão/Harpers Bazaar
Coleção de verão 2013 do estilista – foto: reproducão/Harpers Bazaar

15:00
Depois de folhear as revistas mensais que ficam na mesa à minha frente, vou a alguma reunião ou me encontro com as equipes dos escritórios de estilo ou com a equipe de arquitetos que cuida das lojas, da Armani Casa e dos hotéis. Os dias são cheios, e um compromisso emenda no outro. Prefiro me comunicar frente a frente sempre que possível. Tento fazer com que cada dia seja perfeito, e isso é um compromisso ético, pois há dias maravilhosos em detrimento de outros. Mas, quando saio de férias no meu barco, gosto de estar no mar, nadando, admirando o céu, aproveitando o vento e escutando as ondas. A melhor parte é que tenho ali tudo o que sempre me rodeia, com o mesmo estilo e a mesma decoração de minhas casas, mas com a noção de liberdade que existe quando se está no mar.

20:00
Quando chego em casa, me sento no sofá, de frente para a TV, com os meus gatos, Mairì e Angel, enrolados ao meu lado. Costumo jantar em casa. Meu prato preferido é espaguete alla Bisanzio, que simplesmente leva tomates e mozarela com um toque maravilhoso de manjericão fresco. Gosto de convidar amigos para assistir a um filme ou um jogo de futebol e nos divertimos fazendo comentários e piadas. Mais do que festas, gosto de convidar amigos para virem à minha casa. Às vezes, recebo pessoas que estão de passagem por Milão ou que talvez tenham ajudado com um desfile. Sou obcecado por filmes. Durante anos, adorei Interlúdio (1946), de Hitchcock, que é a elegância ao extremo. Mas, já há algum tempo, estou fascinado por Um Corpo que Cai (1958), pelas ambiguidades da história e pela ideia de ter um sósia. Um livro que realmente adoro – a ponto de ter me matriculado na faculdade de Medicina para seguir os passos do protagonista – é A Cidadela (1937), de A.J. Cronin. Ouço muita música em casa, porque me relaxa. Não à toa, lançamos compilações para a Emporio Armani com canções que escolhi para desfiles. Minha música preferida é Suzanne, de Leonard Cohen. Também sou um leitor ávido de jornais e revistas. Assisto bastante à TV e costumo ficar passando os canais – nunca perco os programas sobre política e atualidades. A televisão é um espelho do tempo em que vivemos, e gosto de ver como e quanto as coisas mudaram.

22:00
Minha roupa de cama é clássica. Bem Armani. Os lençóis de algodão são lavados todos os dias e ficam gostosos de verdade quando eu, finalmente, vou para a cama.

Assine a Harper’s Bazaar