O interior do Bar Canastra - Foto: reprodução
O interior do Bar Canastra – Foto: reprodução

A beleza e o caos batem ponto no final de Ipanema, na altura da Praça General Osório. Ali se formou a Banda de Ipanema; foi criada, há quatro décadas, a Feira Hippie; e foi onde se aproveitou como em nenhum outro ponto o “verão da lata”. O tempo passou e a área conhecida como “Copacanema” ficou jogada aos turistas. Mas como Ipanema é um clássico, e no Rio tudo se reinventa, o lugar renasceu como “Baixo Ipanema” e agora reúne novos bares, hotéis e clubes. A Rua Saint Roman, na subida para o Morro do Cantagalo, bem na fronteira entre os dois bairros, tem tudo o que os gringos amam e os cariocas se orgulham: vista sensacional, gente feliz e UPP. Lá está o recém-inaugurado Clubhouse, que explora um conceito praticamente inédito por aqui: members only, o lugar (com direção cultural de Candé Salles), é um misto de club e hotel, tem espaço para exposições (a atual, de Terry Richardson, é imperdível) e sessões de cinema e é palco das festas mais incríveis da cidade. Para celebrar esta edição, a casa criou um drink em homenagem à Harper’s Bazaar. Batizado de Vreeland Collings, o coquetel de vodca de laranja com licor em chamas remete à lendária editora da revista, Diana Vreeland, e leva assinatura do novo barman da casa, Martin Lasinur.

Piscina da Casa Mosquito com vista infinita - Foto: reprodução
Piscina da Casa Mosquito com vista infinita – Foto: reprodução

A poucos metros dali, na mesma rua, está a Casa Mosquito, hotel idealizado por um casal de franceses, apaixonado pelos trópicos. São sete suítes, com decorações diferentes, mas que têm em comum o estilo low profile e chic. Há também uma biblioteca repleta de livros do mundo inteiro, um terraço com piscina infinita e a vista que deslumbra como poucas outras.

Terraço do Clubhouse com o Morro do Cantagalo ao fundo - Foto: reprodução
Terraço do Clubhouse com o Morro do Cantagalo ao fundo – Foto: reprodução

Descendo a ladeira, logo à frente, na Rua Jangadeiros, está o Bar Canastra. Aberto no início do ano por três europeus que se conheceram na noite carioca, o lugar faz o estilo pé-sujo e está totalmente adaptado à vizinhança. No cardápio, só produtos brasileiros – destaque para os vinhos da Serra Gaúcha e para o delicioso “polvo desarticulado”. Por ali, a ideia é beber na calçada sem pressa e sem frescura. Até o fim do ano, mais bares e hotéis devem inaugurar na região. O Baixo Ipanema promete, e olha que o verão nem começou.