Aneis de madeira e metal banhados a ouro - Foto: reprodução
Aneis de madeira e metal banhados a ouro – Foto: reprodução

Por Ligia Carvalhosa  Há tempos conhecida como celeiro de talentos emergentes, Londres se firma também como importante polo para novos designers de joias. De lá vem Charlotte Garnett, que debuta com coleção de aspirações um tanto esotéricas. “Não quero criar objetos que pareçam ser associados ao bem-estar, mas fazer com que sejam totens para filtrar os excessos do dia a dia”, explica sobre as peças, de madeira, metal banhado a ouro, resina e até cinzas de cigarro. “O metal dá uma sensação de firmamento e peso no corpo, enquanto a textura quente da madeira transmite calma e conforto.”

Segundo ela, essa combinação estética e sensorial traduzida em anéis e amuletos é o antídoto para a ansiedade dos tempos modernos. Nomeada de Cure for the Itch, a coleção, apresentada como trabalho de conclusão de curso na Central Saint Martins, rendeu à designer, em 2015, o Bright Young Gems, premiação concedida pela International Jewellery London, organização que visa incentivar o mercado de joias local.Como parte do prêmio, Charlotte teve ainda a oportunidade de desenvolver peças em parceria com a Alexander McQueen Sarabande Studios, fundação criada por Alexander McQueen ainda em vida para dar suporte financeiro e cultural a jovens criativos. E tudo isso aos 23 anos de idade. Nascida na Bélgica, Charlotte cresceu no sul da Inglaterra e há quatro anos fez da capital do país sua casa. “Minhas primeiras experiências com joias nasceram de visitas à Harrods. Foi lá que conheci o trabalho de Stephen Webster”, conta sobre o joalheiro que se tornou uma de suas principais inspirações. “As criações dark sofisticadas me encantam e representam o estilo contemporâneo e elegante da cidade. Atitude que definitivamente impacta minha estética.”