Foto: Alexandre Virgilio/Site RG
Foto: Alexandre Virgilio/Site RG

Por Anna Del Mar

A terça-feira (04.06) foi agitada nos domínios do shopping Cidade Jardim (SP). É que a Fendi inaugurou por lá sua primeira loja brasileira. Fashionistas driblaram o frio da capital paulista para prestigiar o evento da marca, junto com a abertura da expo Baguettemania, em homenagem aos 15 anos da Baguette, icônica bolsa da maison. Teve até um leilão beneficente com as edições especiais da it-bag feitas por artistas brasileiros.

A noite era de Silvia Fendi e Bazaar bateu um papo com a anfitriã, há anos responsável pelos acessórios da maison. Em conversa descontraída em um cantinho da nova loja, que Silvia ajudou a organizar com afinco no dia anterior, ela revelou que suas criações são fruto de uma mente atenta aos detalhes que a cerca. “Não tenho um lugar específico de onde tiro inspiração para o meu trabalho. Muitas coisas me inspiraram ao longo dos anos. Não tenho uma receita. Posso olhar para o lado e ver algo que me faz ter uma ideia”, resume.

Expo Baguettemania, em cartaz no Cidade Jardim - Foto: Reprodução/Instagram
Expo Baguettemania, em cartaz no Cidade Jardim – Foto: Reprodução/Instagram

De que “lado”, então, teria surgido a inspiração necessária para a criação da Baguette? “Estava cansada das pessoas que se vestiam de preto da cabeça aos pés, principalmente no mundo da moda. Quis criar um acessório que fosse divertido e alegre. Mas o design do acessório em si é super minimalista, e por isso é uma bolsa que combina com tantas ocasiões”, defende.

De fato, desde sua criação, em 1997, a Baguette ganhou incontáveis modelos e versões. Quantas Baguettes Silvia teria em seu closet a criadora da bolsa? “Muitas. Perdi a conta. Mas nunca é suficiente. Tenho uma filha jovem que vive pegando minhas coisas emprestadas para sair. Sempre que olho meu closet, tem alguma coisa faltando”, conta.

À esquerda, Maria Prata e Silvia Fendi; à direita, Pietro Beccari, Silvia Fendi, Mariana e Zeco Auriemo - Fotos: Reprodução/Instagram
À esquerda, Maria Prata e Silvia Fendi; à direita, Pietro Beccari, Silvia Fendi, Mariana e Zeco Auriemo – Fotos: Reprodução/Instagram

“Porém, não sou a maior colecionadora de Baguettes. Tem uma senhora japonesa, que conheci quando fui a última vez para Tóquio, que tem 500 modelos! Muito mais do que eu!”, diverte-se a designer, enquanto sorri e procura atender de forma educada a todos os convidados que disputavam 5 minutos de sua preciosa atenção.

Veja mais:
Por dentro do coquetel da Fendi no Cidade Jardim
Jean-Marc Gallot e os planos da Fendi para o Brasil
Veja antes: a baguette polêmica de Isay Weinfeld para a Fendi
Veja antes: mais uma peça exclusiva da Fendi para o Brasil