Bruna Tenório encerra o desfile da Têca com o melhor look da coleção/Fotos: Marcio Madeira

Por Sylvain Justum

Para seu inverno 2013, Helô Rocha sai à caça de novas texturas e junta esporte com aristocracia para dar à sua Têca ares sessentinhas e românticos. Parece confuso? Nem tanto. A tradicional referência hunting britânica domina a coleção, que se vale de prints e peles animais como fio condutor. Microcães da raça beagle e as perseguidas raposas estampam camisas levinhas, combinadas com minissaias evasês estruturadas, de pelo de vaca ou equino. Modernas, resgatam em alguns momentos o universo futurista dos sixties quando feitas em vinil, micromatelassê de couro e acabamento metalizado. A pelagem reaparece em ótimas jaquetas, como a curtinha malhada.

Em meio à sisudez da cartela – terrosos, vinho e verde garrafa, sobretudo – e das formas – comprimentos pelos joelhos que contrastam com a leveza das saias curtinhas ou os comportados casacos de ares vintage–, saltam aos olhos os looks com estampa de lenço, uma continuação do que Helô havia feito para o verão. São ótimos os vestidos-camiseta com lenço acoplado nos ombros. Shape que volta nas peças em renda guipire, renovada pela piscadela esportiva. Os acessórios levam a assinatura de Dani Cury e sua Sept.is, que acerta a mão nos sapatos híbridos de ankle boot com escarpin e nas bolsinhas retrô de textura tressê.

O look: A entrada final, de Bruna Tenório, com casaco de pele de vaca marrom, de mangas longas, usado sobre saia lápis off-white

O acessório: a bolsa de mão estruturada em tressê de couro