BZ56_ESTILO_MAXI BOLSAS02-interna
Bolsa Louis Vuitton – foto: Arquivo/Harper’s Bazaar

Por Carolina Maggi

Convenhamos, as bolsas mínis, que se tornaram obsessão fashion nas últimas estações, são fofas, mas nada práticas. E praticidade, não cansamos de falar, é pré-requisito básico para qualquer peça do guarda-roupa deste início de século 21. O que explica por que, no verão 2016, as bolsas mais desejadas voltam a ser acompanhadas da preposição máxi.

Estamos falando dos modelos cabe-tudo, muitas vezes com bem-vindas referências esportivas, que cruzaram as passarelas internacionais em setembro passado. São maxibolsas, das desestruturadas às geométricas, que podem te acompanhar da academia para o escritório, com direito a almoço de negócios e drinks no fim do dia. Basta acertar na combinação.

Para looks casuais, por exemplo, opte por modelos em tecidos mais maleáveis ou coloridos e estampados, como as bolsas-saco da Marni e Giorgio Armani, que dão cara moderna ao conjunto jeans, camiseta e tênis. Já para ocasiões que exigem produção mais séria ou elaborada, como reuniões de trabalho, são os modelos com mais estrutura, como o bicolor da Louis Vuitton ou o com motivos étnicos, da Valentino, os indicados para deixar o look chique, mas sem esforço.