Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

“Nós aprendemos a fazer milhares de tipos de ternos diferentes, na sorte, só contando com os clientes que entravam em nossa loja”, revela Rae Tutera ao WWD. Ele é um dos fundadores, junto com Daniel Friedman, da etiqueta Bindle & Keep, especializada em criar ternos para membros da comunidade LGBT+.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Criada em 2011, a marca tem como objetivo criar ternos ajustados para todos os tipos de corpos, especialmente para os homens transgênero em processo de readequação de gênero. “Eu realmente sinto que estamos conseguindo demostrar o nosso ponto de vista plural – nós, inclusive, fazemos ternos para homens cisgênero plus size. Criamos de tudo para todos os corpos, mesmo se ainda não entendermos como fazer”, diz Friedman.

Como se fosse uma ida ao divã, os estilistas conversam com seus clientes com o intuito de descobrir o que os incomodam em seus corpos, para, então, desenvolver peças que os deixem completamente felizes e seguros de si. “Quando começamos, sentávamos e escutávamos tudo o que as pessoas tinham a dizer sobre seus corpos, e tentávamos atingir o ideal que eles nos impunham”

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

“A primeira vez que usei o meu terno em público foi em uma entrevista de emprego, e eu me senti muito bem nele. Me senti representada, ao invés de parecer uma menina usando um blazer oversized para meninos. E no final, eu consegui o emprego!”, diz Mel Plaut, cliente da loja.

Celebrando a diversidade, o canal pago HBO realizou um documentário contando a história da marca. Chamado Suited, o filme, dirigido por Lena Dunham e Jenni Konner, roteiristas da série Girls, estreará dia 20 de junho nos Estados Unidos.