Por Sylvain Justum

A Coven se inspira no cenário italiano retratado pelo livro A ilha de Arturo, de Elsa Morante, para contar um verão repleto de referências navy, mas também de propostas urbanas consistentes, com destaque para as calças e tubinhos embalados a vácuo.

Neles, arabescos formados por micropérolas, âncoras e cordas de marinheiro dão o tom decorativo da moda global, enquanto t-shirts desabadas, de tricô e pegada esportiva, arrematam de forma cool e bem chique as boas calças da coleção – como no ótimo look de abertura.

Enxuto, o desfile insiste, sobretudo, nesses dois caminhos, o que não é demérito, já que a fórmula é muito bem executada. Babados localizados aqui e ali, quadriculados típicos das toalhas de mesa das cantinas napolitanas e ousadias gráficas nos looks finais completam o feliz repertório, que dilui tendencinhas como o peplum e o bustiê.

O melhor look: o de abertura, de camisetão cru com mangas raglan laranjas e calça desenhada.

O destino: cidades do litoral sul da Itália. Pense em Puglia, Portofino ou Napoli.