Foto:Getty Images
Foto:Getty Images

O e-commerce TagPop promete revolucionar conceito de compras em brechós. O modo que eles trabalham é simples: os clientes podem solicitar itens como jeans, jaqueta de veludo ou uma simples camiseta. Aí, o TagPop processa seu pedido, e automaticamente procura os seus “likes” no Facebook e interesses para ter uma noção do seu gosto. Com esse relatório em mãos, os stylists da ferramente vão vasculhar entre centenas de peças para encontrar um modelo vintage perfeito para você. O que você recebe na verdade é um tiro no escuro. E se você não gostar, você pode devolver inúmeras vezes até eles acertarem – é necessário, no entanto, pagar pela entrega e devolução.

“Nós pegamos os seus dados e procuramos a correspondência ideal para ele, ao invés de descrever as peças e catalogá-las no site”, explica o CEO Topper Luciani, que junto com Henry Lihn fundou o TagPop. “Isso nos permitirá alcançar uma escala maior de clientes do que nós conseguiríamos se catalogássemos todas as peças vintages.”

As peças "Mystery"do TagPop - Foto: divulgação
As peças “Mystery”do TagPop – Foto: divulgação

O objetivo do TagPop é retirar a parte incômoda das compras vintage (sem mais prateleiras com cheiro de mofo) e, por sua vez, reduzir o desperdício de dois milhões de toneladas de roupas nos próximos cinco anos. Atualmente, os norte-americanos reciclam ou doam apenas 15% de suas roupas usadas e o resto – cerca de 10,5 milhões de toneladas por ano – vai para aterros sanitários.

Os preços do e-commerce variam de US$ 5 a US$ 75 (cerca de R$ 15 e R$ 237) para cada item misterioso, dependendo no seu “‘tier” (as peças premium serão lançadas no site no dia 1º de novembro). Será que a moda chega ao Brasil?