Estilistas da Amapô, Carô Gold e  Pitty Taliani, estilistas da Amapô
Carô Gold e Pitty Taliani, as estilistas da Amapô – Foto: reprodução

Por Luigi Torre e Ligia Carvalhosa

Anitta, a funkeira, usa. Valesca, a Popozuda, também. A blogueira posta (sem cobrar) que nada dá melhor shape ao corpo. A patricinha jura que é par perfeito para o scarpin. A perua ama. A socialite, com o modelo de cintura alta que alonga a silhueta, não sabe mais como é viver sem. As globais aderiram, dentro (Larissa, personagem de Grazi Massafera em Verdades Secretas, não tira a sua) e fora (só Deborah tem três: a Secco, a Bloch e a Nascimento) da tela.

Dona do título do jeans mais universal dos trópicos, a Amapô, das estilistas Carô Gold e Pitty Taliani, veste sem distinção de sexo, idade, credo ou seja lá o que for. Hot ticket há muitas estações, a peça coroa a ótima fase da marca, que completou dez anos de vida. Sim, a Amapô é mais do que seu jeans, é uma etiqueta jovem e multicolorida, que faz deboche consistente da moda e cria olhando para as raízes de seu País.

A fórmula ousada, para não dizer arriscada, ganha respaldo comercial no denim, que vende feito água (são mais de 100 pontos de venda) em todas as suas variantes: cintura alta skinny, boca de sino cintura alta, skinny cintura baixa, saia cintura alta, shorts e jaqueta.Fora as lavagens, mais de 30 por coleção.

O segredo? “Nossa calça veste bem porque foi pensada para o corpo da mulher brasileira, valorizando o que ela tem de melhor: a bunda”, explicam Pitty e Carô, grávida de seu segundo filho, que, muito em breve, poderá usar um modelo da label – a Amapô pretende vestir também a futura geração.