Foto: divulgação
Foto: divulgação

Conhecido por se inspirar na arte de povos nativos e indígenas para criar suas joias, Rodrigo Massot olha para a antiga Núbia (região entre o Egito e o Sudão) para desenhar sua nova coleção. “Proponho uma mistura do afro com o egípcio, trabalho o tribal com o requinte das civilizações antigas”, explica ele, em conversa com Bazaar.

Veio de um cruzeiro pelo Rio Nilo e de extensa pesquisa sobre a região a inspiração para as 25 peças únicas que mesclam madeira e marfim com preciosidades, como esmeraldas, safiras, rubis, turquesas e lápis-lazúli. “Gosto de tudo o que é personificado, tem vida e desperta desejo. As cariátides são figuras que encontramos na arquitetura, pessoas ou seres que apoiam as estruturas dos prédios e templos”, diz sobre os mosaicos em forma de rosto, traço que já se tornou um clássico de suas criações.