Joëlle Maslaton honra a tradição familiar investindo em alta-joalheria - Foto: Reprodução Harper's Bazaar
Joëlle Maslaton honra a tradição familiar investindo em alta-joalheria – Foto: Reprodução Harper’s Bazaar

Joëlle Maslaton andava sumida desde que fechou, em 2002, a loja que levava seu nome, point obrigatório nos anos 1990 para paulistanos ligados em de­coração. Pois Bazaar traz boas novas. Ela acaba de lançar uma coleção de joias. Mo­rando há dez anos em NY, a designer está construindo uma nova trajetória no uni­verso do luxo, que conhece tão bem. A partir de um blog de lifestyle, montado há sete anos para atualizar os amigos brasilei­ros sobre suas andanças pelo mundo, Joël­le criou uma revista virtual, a Joëlle Maga­zine. O sucesso da publicação atraiu um grupo de investidores, que lhe ofereceu a abertura da grife de alta-joalheria, com­posta de peças únicas, com um sistema de vendas online e excelência em matéria­-prima. A Joëlle Jewels acaba de lançar sua primeira coleção, Excepcional Pieces.

Comprando safiras, rubis, esmeraldas e diamantes direto das mineradoras, Joëlle reduziu em 1/3 o custo das joias. As peças têm o mesmo valor de manufatura e a qualidade de top joalherias, como Graf ou Harry Winston, mas com preços mais atraentes. Suas criações, “são para pessoas que procuram investimento aliado a ele­gância”. De desenho clássico e atemporal, são produzidas na Suíça, Alemanha e Itá­lia pelos mesmos artesãos que seu pai, Al­bert Maslaton, já empregava como dia­mond dealer na Antuérpia. A designer cres­ceu no meio da alta-joalheira. Recém­-nascida, mudou-se com a família para a Libéria, para morar ao lado de uma mina onde seu pai trabalhava. Crescer perto de Albert provou ser uma valiosa escola para a ítalo-belga.