Coco Chanel - Foto: Divulgação
Coco Chanel – Foto: Divulgação

O visual de Gabrielle “Coco” Chanel sempre esteve à frente de seu tempo. Na virada do século 20, quando frequentava corridas de cavalos na companhia de Etienne Balsan e Boy Capel, sua imagem contrastava com a das damas da sociedade. Enquanto elas se apertavam em espartilhos e arrematavam o visual com imensos chapéus decorados com plumas, frutas e flores, Coco apostava no conforto e na irreverência de peças esportivas e simples, emprestadas do guarda-roupa masculino, finalizadas por um pequeno chapéu de palha com abas retas que ela mesma fabricou.

Não por acaso, o boater virou um dos destaques de sua primeira loja, inaugurada em 1910, no número 21 da Rue Cambon, e figura entre as assinaturas da marca francesa.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Chanel, resort 2019- Foto: Divulgação
Chanel, resort 2019- Foto: Divulgação

Reinterpretado constantemente por Karl Lagerfeld, junto com o cruisewear, desde que ele assumiu a criação de todas as linhas da marca, em 1983, o boater – também conhecido como chapéu tipo palheta, velejador ou canotier – chega ao cruise 2019 feito de palha natural e com aba levemente afunilada para enfatizar o olhar.

Confeccionado pela icônica Maison Michel, ganhou um pompom vermelho, evocando o mar e a espuma provocada pelas ondas. Para acentuar o clima marítimo, a marca não poupou esforços. A passarela ganhou cenografia de um barco, batizado de La Pausa, em homenagem à casa de veraneio de Gabrielle na vila de Roquebrune-Cap-Martin, no sul da França.

Chanel, resort 2019- Foto: Divulgação
Chanel, resort 2019- Foto: Divulgação

Apesar do Cruise ser hoje coleção importante no calendário das principais marcas, foi Coco Chanel quem primeiro enxergou a necessidade de roupas próprias para o período de veraneio, já que ela mesma adorava navegar nos iates pertencentes ao duque de Westminster.

Sua primeira coleção foi apresentada no final do outono de 1919, destinada a resorts de férias, principalmente em Biarritz. Mais leves e confortáveis, eram feitas de jersey e dispensavam forro. Ao lado dos suéteres, eram ideais para iates e balneários chiques.

Chanel, resort 2019- Foto: Divulgação
Chanel, resort 2019- Foto: Divulgação

Seis anos antes, em Deauville, ela já havia lançado roupas inspiradas no visual dos marinheiros. Além do boater, Lagerfeld incluiu boinas, outro elemento clássico no guarda-roupa da estilista.

Ela costumava acrescentar broches, para dar um toque feminino ao acessório. A partir da década de 1930, a francesa reinterpretaria a peça nos mais variados materiais e formas, inspirada nas versões basca, marinheiro ou escocesa.

Chanel, resort 2019- Foto: Divulgação
Chanel, resort 2019- Foto: Divulgação

Aliás, ao assinar o figurino de “Cais das Sombras”, de Marcel Carné, em 1938, ela usou a boina para complementar o trench coat que Nelly, personagem de Michèle Morgan, usa durante quase todo o filme.

Para a nova coleção, Lagerfeld utilizou 15 tweeds diferentes: do branco ao rosa-pastel, do azul-celeste ao ultramarinho. Alguns deles ganharam grandes paetês multicoloridos bordados pelos ateliês Montex e Lesage. Maxibroches arrematam o acessório, bem ao gosto de mademoiselle. “Uma boina, isso é tudo!”, gostava de bradar Chanel.

Chanel, resort 2019- Foto: Divulgação
Chanel, resort 2019- Foto: Divulgação

Ontem e hoje
Feito de palha, com formato estruturado e decorado com uma fita de gorgorão, o boater surgiu entre o final do século 19 e início do 20. Fazendo combo com blazer, dava ar formal ao visual esportivo masculino dessa época, até que Coco Chanel se encantou por ele e decidiu popularizar seu uso entre mulheres, assim como ela, cheias de personalidade.

Chanel, resort 2019- Foto: Divulgação
Chanel, resort 2019- Foto: Divulgação

Já a boina tem um passado um pouco mais longínquo. Apareceu pela primeira vez na França do século 17, como acessório de proteção, e virou moda entre os anos 1960 e 1970 – Brigitte Bardot adorava – e símbolo revolucionário graças a Che Guevara. Teve revival nos anos 1980 e nas décadas seguintes. A peça passa agora por novo retorno, nos mais variados materiais, e decorada com broches ou bordados.

Leia mais:
Palha vai fazer bonito nas praias no verão 2019
Verão 2019: moda praia se une aos brilhos em looks noturnos
Veja os 10 desfiles mais marcantes de 2018