iPad com o site da marca, bolsa e óculos Amaro
iPad com o site da marca, bolsa e óculos Amaro

Por Luigi Torre

Esperar é um verbo cada vez menos presente no nosso dia a dia. Mas se engana quem pensa que a pressa é sempre inimiga da perfeição – a Amaro, uma das poucas marcas de moda nacionais nascidas e vendidas exclusivamente online, é um bom exemplo disso. Para quem se propõe a ser uma rede de fast fashion, a qualidade é um tanto acima da média. Qualidade, diga-se de passagem, do produto, da experiência de compra e do atendimento. Mas vamos começar pelo que mais interessa: a roupa.

Leia mais: Faith Connexion prepara surpresas para a entrada no Brasil

Aqui, cada peça passa por rigoroso controle de qualidade. Ao todo, são mil itens produzidos mensalmente, entre prêt-à-porter e acessórios, tudo pensado para atender os desejos mais urgentes das consumidoras. O fato de a Amaro se portar como uma empresa de comunicação e tecnologia também faz diferença. Com sistema de informação totalmente integrado, o feedback é instantâneo. Direta ou indiretamente, há um real e eficaz diálogo com as clientes.

Moodboard da coleção de inverno
Moodboard da coleção de inverno

“É como uma criação a quatro mãos”, diz a head of products, Anay Zaffalon. “Fazemos coleções mensais, com bases em temas e tendências que identificamos por meio de pesquisas e nas principais passarelas do mundo. Mas boa parte do que produzimos tem a ver com o que nossas consumidoras desejam naquele exato momento”, explica. “E isso pode ser tanto algo recém-apresentado em um desfile como um de nossos best sellers, como a saia mídi, a regata de crepe e o trench coat.”

“E isso só é possível pelo nosso modelo de negócio e infra-estrutura”, diz o CEO, fundador e um dos sócios, Dominique Oliver Schweingruber. Modelo, aliás, de muito sucesso. Só no último ano, a Amaro dobrou seu faturamento, feito que deve se repetir em 2016 com a nova linha fitness e a abertura de novas guide shops (duas no Rio de Janeiro, no Shopping Leblon e no Barra Shopping, e quatro em São Paulo, no Vila Butantã, nos shoppings Pátio Paulista e Anália Franco e no aeroporto de Congonhas), onde é possível provar as roupas e comprar via e-commerce.

O CEO Dominque Oliver Schweingruber, na sede da Amaro, em SP
O CEO Dominque Oliver Schweingruber, na sede da Amaro, em SP

“A diferença é que já nascemos na era digital, enquanto a maioria ainda está correndo para se adequar às novas demandas”, explica Dominique, durante visita ao novo QG da empresa. O espaço, aliás, foi essencial para viabilizar e agilizar a logística do processo. Com uma nova coleção lançada a cada mês, a Amaro hoje realiza entregas em até 2h30, para pedidos feitos em São Paulo, e até dois dias úteis para o resto do País. “Isso só foi possível porque entendemos, desde cedo, a necessidade de uma organização integrada verticalmente.”

Leia mais: O que você deve prestar atenção quando está fazendo compras on-line

Em termos práticos, isso significa que tudo é feito e controlado internamente. Da criação de cada peça ao lookbook, da campanha à entrega dos produtos – todos embalados para presente, mesmo que para você mesma. “Isso nos permite cortar custos e mediações desnecessárias, ter mais controle sobre todos os processos e garantir um produto com melhor qualidade, apesar da alta rotatividade e da frequência de novos lançamentos”, finaliza.