A designer Marcela Basto Lima
A designer Marcela Basto Lima

por Juliana Lopes

O MAIOR DOS DESAFIOS da moda brasileira hoje, fortalecer a nossa identidade, parece ser tarefa das novas marcas. Marcela B está nesse caminho. Criada e liderada por Marcela Basto Lima, as peças transpiram o mix de global e local ultranecessário nos dias de hoje. Como ter a alma brasileira, mais precisamente carioca, sem desconectar as antenas do que acontece no mundo? A resposta parece simples: “O que acontece fora do Brasil funciona para mim como informação. Eu analiso as propostas, vejo o que aparece como tendência global e o que existe de tecnologia nova. Mas, para criar, sigo meu olhar sobre a mulher carioca. Cada cidade tem suas peculiaridades,então a observação é fundamental”, conta Marcela em entrevista à Bazaar.

Para desenvolver sua expertise em sapatos, escolheu o lugar certo: Itália. Marcela morou em Milão, onde estudou no Istituto Marangoni.“Sempre achei muito bacana o foco de Milão para a moda. É realmente onde tudo acontece. Lá existe uma paixão muito grande pela estética e pelo design de forma geral. Os italianos gostam, valorizam, apreciam, entendem, além de terem uma identificação com o feito à mão, com o artesanal.” Não por acaso, trabalhou com Paula Cademartori (pág. 60), brasileira também formada em Milão, que conquistou os europeus com suas bolsas. Mas o DNA de Marcela gritou por sapatos,sua paixão.

Sapatos da coleção Inverno 2017 de Marcela B.
Sapatos da coleção Inverno 2017 de Marcela B.

Peça de moda das mais complicadas,os sapatos requerem etapas complexas em sua cadeia produtiva, dos fornecedores à montagem de cada parte.“Me encantei pelo caráter arquitetônico do desenvolvimento do produto. Além da estética, existe uma grande preocupação com o conforto e com a qualidade, com o caminhar.Os sapatos contam muito sobre quem somos.Mostram quem você é, dão pista sobre o comportamento”, filosofa. E a gente consegue imaginar a mulher carioca que veste Marcela B pelo próprio estilo de vida da designer: vai duas vezes por ano para fora do Brasil, mas valoriza a vida mais slow. Trabalha perto de onde mora, no Leblon. Gosta de andar a pé, é ligada em livros e revistas, tem olhar estético apurado. Ama o mar. Se inspira na descontração e na alegria do Rio de Janeiro. Mas, sempre que preciso, pega o avião para São Paulo, para dar um pulo em sua loja na Cônego Eugenio Leite, em Pinheiros.

O resultado do lifestyle-internacional-local-praiano na criatividade a gente percebe nos materiais e nas formas das peças. Referências que lembram areia, mar, concha. Sapatos baixos para a caminhada diária. Materiais que nos contam uma conexão com o artesanal – cordas, palhas. E, de repente, materiais mais pesados, ou saltos, para uma noite de drinks em algum lugar interessante do mundo. Como em Nova York, futura sede de um showroom da marca. Além dos pontos de venda físicos, a marca vende online na Shop2gether, OQvestir, Gallerist e, recentemente, entrou para o time das marcas do site Moda Operandi.