Desfile Colcci/Foto: Márcio Madeira

Por Sylvain Justum

A Colcci parece estar entrando em nova e definitiva fase, onde fazer moda jovem não significa necessariamente cair no óbvio combo de jeans e top de malha.

Apesar da grife descrever a coleção como releitura dos anos 90, o que vimos está perfeitamente dentro do mood da temporada, ou seja, silhueta lápis – com a onipresente saia, aqui nos mais diversos materiais – e militarismo anos 40.

Com ajuda do impecável styling da inglesa Victoria Young (em parceria com Alexandra Von Bismarck), pupila de Katie Grand, a marca catarinense fez bonito.

São muito elegantes as combinações de tricôs de ponto largo, molengões, com as saias até o joelho ou calça skinny de couro – repare no look de Vivi Orth – mais bolsa carteira colorida. O handmade, aliás, aparece bastante, formando até mesmo looks completos, seguindo o espírito de total look crochetado que vimos nos últimos dias.

Poderosas também as entradas de casacos oversized, meio masculinos, saídos diretamente das trincheiras, como o marrom de Bruna Tenório. Ótima opção para jogar por cima de um look mais leve. A saia plissada de cintura alta, combinada com top curto de tricô anuncia a chegada de um certo cinquentismo na parte final do desfile.

No bloco denim, a idéia se repete na entrada cool de Daiane Conterato, com saia plissada em jeans, camisa estampada abotoada até em cima e jaquetinha desbotada com pele na gola. Meio larga, meio masculina também.

MELHOR LOOK: Entrada em denim de Daiane Conterato, com saia plissada armada e cintura alta. Para completar, camisa estampada abotoada até em cima, bem caretinha, com jaqueta jeans de pele na gola

ACESSÓRIO: Os escarpins coloridos em camurça. Tinha roxo, vermelho, amarelo… para quebrar a sisudez de alguns looks