A mesa sobre sustentabilidade no Mercado de luxo começou com um alerta de Stephen Dunbar-Johnson. Com a população mundial chegando aos 7 bilhões de habitantes e uma previsão de  9 bilhões para 2050, o fato é: “O status quo e nosso estilo de vida atual é insustentável”.

Com os centros urbanos em plena expansão, o pensamento do debate desta sexta-feira (11.11) no IHT é simples: precisamos repensar a maneira como consumimos hoje em dia.

Junto a Stephen estavam Fernando Rodés Vilà – que fez uma rapida análise sobre o perfil do consumidor atual -, Oskar Metsavaht da Osklen e o estilista de alta costura Gustavo Lins, cada um contando sobre suas iniciativas sustentáveis no mercado de moda e luxo.

Enquanto Oskar fez uma retrospectiva do trabalho da Osklen em buscar alternativas sustentáveis para sua marca – como a seda orgânica que é desenvolvida no sul do Brasil – Gustavo Lins falou um pouco de sua parceria com a Hermès para a linha Petit h em que designers renomados re-utilizam as sobras de materiais para a criação de novos produtos.

Apesar de muitas das marcas de luxo ainda não investirem na pesquisa de novos materiais mais sustentáveis, o exemplo da Osklen e de Gustavo Lins – que está desenvolvendo um tecido que mistura algodão e cana de açúcar – pôde servir como fonte de inspiração e ideias para a plateia do IHT nesta quinta-feira.

Foto: Getty Images