Para o desfile “Prada Multiple Views SS21″, realizado virtualmente esta semana, a marca italiana substitui a passarela pelas perspectivas de muitos: múltiplas visões, a coleção através dos olhos de uma infinidade de criativos globais.

A coleção sugere a abordagem: visões diferentes, para uma coleção que propõe uma infinidade de interpretações do homem e da mulher Prada.

A coleção é proposta em cinco capítulos, que por sua vez são interpretados por cinco artistas criativos: Terence Nance, Joanna Piotrowska, Martine Syms, Juergen Teller e Willy Vanderperre. Eles propõem um filme que captura uma faceta da coleção da marca, distinta e definida em sua declaração e ideologia criativas.

Veja abaixo:

Capítulo 1

Juergen Teller (nascido em 1964, Alemanha)

Juergen Teller – Foto: Divulgação

“Foi uma honra ser convidado a fotografar e filmar a última coleção de Miuccia Prada. Eu logo pensei em como os homens e mulheres pareciam lindos, elegantes e modernos. Gostei de olhar para a visão de Miuccia e tentar entendê-la da maneira mais honesta e direta possível.”

Capítulo 2

Willy Vanderperre (nascido em 1971, Bélgica)

Willy Vanderperre – Foto: Divulgação

“A Prada evolui e muda a cada temporada. Desta vez, a parte que estávamos filmando e fotografando parecia uma coleção honesta. Despojado de ideias de moda, que transforma essa idéia em moda novamente. Também parecia introspectivo e levemente esquizofrênico. Um olhar sobre o passado e o futuro que ainda está por vir. Espero que o público sinta, através do filme, uma apresentação pura e honesta da coleção.”

Capítulo 3

Joanna Piotrowska (nascida em 1985, Polônia)

Joanna Piotrowska – Foto: Divulgação

“Gesto e fisicalidade são uma forma não-verbal essencial de comunicação e desempenham um grande papel nos aspectos conceituais e composicionais do meu trabalho. O estalo do dedo é uma ação rápida e sutil, mas que exige atenção. Também é usado para indicar aprovação ou para manter o ritmo. Eu pensei que esse curta pudesse ser um espaço interessante para trabalhar com o snap como um motivo recorrente que marca os movimentos e redireciona a atenção do espectador para cada novo visual.”

Capítulo 4

Martine Syms (nascida em 1988, EUA)

Martine Syms – Foto: Divulgação

“O vídeo é uma colagem de vários formatos e apresenta movimentos repetitivos e iterativos intercalados com belas pessoas olhando para si mesmas em monitores e telas em Milão e no meu estúdio em Los Angeles. Como as peças da coleção trazem referências dos anos 60, tentei incluir várias referências à cultura do cinema e à vigilância desde esse período até o presente. Sou inspirado pela maneira como as telas vieram nos fazer e desfazer a maquiagem, e o que significa viver, respirar, mover coisas carnais em um mundo cheio delas.”

Capítulo 5

Terence Nance (nascido em 1982, EUA)

Terence Nance – Foto: Divulgação

“O filme nasceu da velocidade e da brincadeira, não tenho palavras para decodificar qual é o significado e o que é ou o que será, mas pode ser sobre o “tempo” – e manter seus órgãos naquele vaso que chamamos de corpo enquanto se contorce para amar cada segundo enquanto se despede.”