Pulseirismo é tendência de inverno – Foto: Divulgação

O pulseirismo invadiu as passarelas das semanas de moda internacionais – metalizadas, de pano, plástico, grossas, esculturais, coloridas – tudo vale nesse mix que deu à pulseira o status de acessório da temporada. Veja as marcas eleitas por Bazaar para o inverno 2022:

Alighieri

Alighieri – Foto: Divulgação

A label inglesa fundada pela designer Rosh Mahtani é um sucesso absoluto na Europa. Com suas criações irregulares e cheias de misticismo – a marca é inspirada nas lendas do Inferno de Dante -, Rosh é adepta das acumulações de anéis, colares, brincos e, é claro, pulseiras, ou as bangles, como a designer as denomina. Douradas ou prateadas, lisas ou irregulares, a ordem da coleção atual é usar e abusar!

Van Cleef & Arpels

Van Cleef & Arpels – Foto: Divulgação

A maison francesa também aderiu aos braceletes na última coleção de joalheria, como o Palmyre, em ouro branco e exatamente 135 diamantes, de inspiração Etrusca, feito em ouro amarelo, ou o Olympia, em forma de corrente em ouro branco e 609 diamantes… Um estouro de poder!

Saint Laurent

Saint Laurent – Foto: Divulgação

Como era de praxe com Yves Saint-Laurent, as pulseiras continuam uma marca registrada da maison. Nos últimos desfiles de verão e inverno da grife, as famosas manchettes adoradas pelo estilista também ganharam seu lugar de predileção com o designer Anthony Vaccarello. Em metal dourado e prateado, elas vêm grossas e esculturais, em formato de serpente, contorcidas e irregulares por cima de luvas de couro coloridas. Quando mais finas, surgem coladas ao corpo. Quanto mais sexy, melhor!

Etro

Etro, inverno 2022 – Foto: Divulgação

Foi a vez da grife italiana comandada por Veronica Etro, conhecida pelas estampas paisley e pela cachemira, de trazer um pouco de cor e de pedras para a semana de moda milanesa inverno 2022. Animal prints, amarrações de vime, moedas, pedras turquesas e pretas em estruturas de metais e de couro vieram acumuladas e com um toque hippie-chic. Porque as pulseiras são bem-vindas mesmo no inverno.

Alaïa

Alaïa – Foto: Divulgação

Pieter Mulier apresentou sua segunda coleção verão/outono 2022 (sim, o estilista belga adora mudanças!) couture e ready-to-wear para a Alaïa, na última semana de moda parisiense, quatro anos após o desfile derradeiro do mestre Azzedine Alaïa. Na passarela, alfaiataria, looks esculturais e uma cápsula em edição limitada intitulada “Tanagras”, uma linda homenagem às representações em cerâmica de mulheres da Antiguidade, criadas por Picasso. Para acompanhar os looks divinos, pulseiras largas em metal e plástico, usadas em acumulação por cima de mangas ou nos punhos das modelos

Rose Benedetti

Rose Benedetti – Foto: Divulgação

Grande pioneira das bijoux de luxo do Brasil, Rose Benedetti foi procurada pelo próprio Yves Saint-Laurent nos anos 1970 para que reproduzisse suas joias. “Nessa época não havia importação no País. Reproduzi os acessórios dele por 15 anos com muito amor e dedicação. Ele entrou com tudo, com roupas, bijoux, em uma época que não havia nada disso. Sua importância para a indústria da moda é imensurável e sou muito grata por tudo que aprendi com ele”, conta Rose. A designer, que ainda está na ativa, lançou sua última coleção “Ópera”, inspirada nas peças de teatro que assistiu no MET e na Broadway. As peças, repletas de figuras em resina, pingentes vermelhos e cristais, levam um delicado trabalho de renda de metais.

Goossens

Goossens – Foto: Divulgação

A história da maison francesa se confunde com a de mademoiselle Gabrielle Chanel, para quem Robert Goossens criava joias pessoais e cheias de significado. Hoje parte da Chanel, a label criou, para a última coleção, uma série de braceletes e pulseiras com moedas, formas animais, pedras, amuletos, correntes e pérolas. Um deleite para olhos e pulsos.