Peço licença para a Harper’s Bazaar Brasil para falar um pouco de mim: sou Rodrigo Yaegashi, Editor Sênior de Moda e parte da equipe há mais de sete anos. Mas meu começo não aconteceu no mercado editorial, meu primeiro estágio em moda foi com este gênio que, hoje, retorna ao São Paulo Fashion Week Wilson Ranieri, esta é uma carta de amor para você.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Por coincidência cósmica fiz parte do seu time em sua última apresentação, em um tempo em que a passarela era o que te fazia brilhar os olhos, isso num passado que durou quase 11 anos até você nos presentear com este comeback. Wilson, posso te garantir que, graças a você, evolui muito nesse tempo. Você, na contramão obviamente, se manteve fiel a tudo que sempre te motivou e que sempre te renderam os resultados que nos fizeram e nos fazem te aplaudir de pé. Para poucos, né?

Ver a criação ser feita através de tecidos e alfinetes na técnica de moulage, construção direta no manequim, sempre esteve no seio das suas peças, traz complexidade ao produto e é sua assinatura que tanto nos fez falta! Ver as golas jabour, as costas como cânions, os drapeados acinturados e a amplitude de volumetrias surpresas me faz refletir sobre a atemporalidade da sua coleção.

A pegada anos 70 evidente no fashion filme é um desejo estético atual, mas que fala muito de quem você é e que nunca precisou falar abertamente. A inclusão está e esteve sempre contigo, o Black Lives Matter, e hoje vestida 100% por Mariane Calazan, que com as perucas de outro gênio, Celso Kamura, que assina a beleza e explora os penteados e o olhar fatal da década de forma atual.

Que delícia poder te escrever hoje esta carta e agradecer por ter tido a sorte de te acompanhar, mesmo que minimamente, nos tão grandiosos passos que você construiu e constrói dentro da moda nacional.

Veja a coleção apresentada por Wilson Ranieri: