Gigi Hadid na passarela da Burberry – Foto: Now Fashion

Após o cancelamento da semana de moda masculina de Londres, que seria realizada em junho de 2020, o British Fashion Council, conselho de marcas e estilistas da Grã-Bretanha, anuncia novos planos. A temporada vai acontecer, mas será inteiramente virtual e sem gênero – todas as marcas poderão apresentar suas coleções a partir de 12 de junho.

O BFC criará uma plataforma digital, que será aberta ao público comercial e ao consumidor. Os designers participantes ainda não foram confirmados. O objetivo do formato é dar aos designers maior flexibilidade quanto ao público que eles podem atingir.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

“Muitos de nossos parceiros sempre adotaram a semana de moda de Londres como uma plataforma não apenas para a moda, mas também por sua influência na sociedade, identidade e cultura. Ao criar uma plataforma da semana da moda cultural, estamos adaptando a inovação digital para melhor atender às nossas necessidades. Os designers poderão compartilhar suas histórias e, para aqueles que as têm, suas coleções, com uma comunidade global mais ampla. Esperamos que, além de perspectivas pessoais sobre esse momento difícil, haja mais inspiração. A moda britânica é conhecida é conhecida por isso”, afirma Caroline Rush, diretora executiva do BFC, em comunicado divulgado nesta terça-feira (21.04).

“A pandemia atual está nos levando a refletir sobre a sociedade em que vivemos e como queremos viver nossas vidas e criar negócios quando tudo isso passar. Sustentabilidade, criatividade e produto que você valoriza devem ser a ordem da vez”, complementa.

A plataforma online reunirá conteúdo multimídia de designers, criativos, artistas e marcas na forma de entrevistas, podcasts, diários e showrooms digitais. O público pode fazer pedidos do estoque da temporada atual, e os compradores terão acesso às novas coleções.

O objetivo é continuar realizando quatro eventos por ano em janeiro, fevereiro, junho e setembro. Ainda não foi confirmado se o evento de setembro também terá uma iteração física e dependerá das normas de distanciamento social e da situação geral no Reino Unido.