Renzo Rosso cumprimenta John Galliano depois do desfile - Foto: Reprodução Instagram (@renzorosso)
Renzo Rosso cumprimenta John Galliano depois do desfile – Foto: Reprodução Instagram (@renzorosso)

Por Luigi Torre

A imagem acima já diz tudo. Trata-se de uma nova fase. Para marca e para seu novo diretor de criação, John Galliano. Como adiantamos na edição de janeiro de Bazaar, o desfile da alta-costura (a linha Artisanal da grife) é a estreia mais aguardada de 2015 – e agora, uma das mais bem sucedidas. Numa pequena sala, por apenas 100 convidados, o casamento, que soou estranho e improvável quando de seu anúncio, se mostrou perfeito, uma união de duas identidades e estilo antagônicos. De um lado o minimalismo impessoal da marca belga, do outro o romantismo decadente de um dos mais talentosos dos últimos anos.

De familiar estavam lá as desconstruções, os materiais reutilizados e reapropriados, o avesso e as costuras aparentes – códigos e elementos dos mais essenciais da marca belga, até então conhecida por seu minimalismo impessoal e quase cerebral. De novo, surge toda uma extravagância contida e um romantismo decadente. Porém, a comparação incansável sobre o que foi a grife e os trabalhos passados de seu novo diretor de criação não é muito útil. Mais vale focar no novo ou, pelo menos, naquilo que parece ser o novo caminho a ser seguido pela grife, pertencente ao grupo Only The Brave, de Renzo Rosso.

Trata-se de uma nova Maison Martin Margiela. Mais simpática aos holofotes, mais adapta às demandas de mercado, mas nem por isso distante ou avessa a sua identidade. Apenas diferente. O foco inicial é na alfaiataria, o que justifica a escolha por Londres como locação para o desfile (até então eles aconteciam em Paris, durante a semana de alta-costura), dada sua tradição nesta área. Uma alfaiataria, porém, não muito óbvia, descontruídas e reaproriada, como no vestido vermelho, feito a partir do forro de paletós. Aos poucos, a extravagância de Galliano ganha em volume, com conchas fazendo as vezes de bordados em formas de maxirrostos, talvez uma possível indicação da nova pessoalidade que a marca passa a assumir. E exemplo melhor do que o visto hoje, ao fim do desfile, não há. Após anos sem uma cara conhecida, a apresentação terminou com um (quase) discreto John Galliano, vestindo os famosos jalecos brancos da grife.