Cores e simetria no verão optical da Louis Vuitton

by elav

Foto: Marcio Madeira

Para o verão 2013 da Louis Vuitton, Marc Jacobs utiliza as colunas listradas criadas pelo artista minimalista Daniel Buren, para o jardim do Palais Royal, em Paris, como ponto de partida para sua coleção, apresentada nesta quarta-feira (03.10), no museu do Louvre, na capital francesa.

Mas, apesar da instalação ter sido criada em 1986 e conduzir todo o esquema de estampas do desfile, a vibração 60’s  – assim como no desfile de sua marca homônima, em Nova York -, é bem forte, aparecendo na silhueta – dos tops e jaquetas sem gola, das saias lápis e mini de cintura mais baixa e dos casacos ¾ -, assim como nos penteados e acessórios. O amarelo é a cor principal da coleção, incorporado em diferentes tonalidades ao longo do desfile, assim como no cenário, desenvolvido pelo próprio Buren.

Desfilados em pares, os looks optical da coleção ganham ainda mais força. É possível perceber a versatilidade de uma mesma padronagem, que pode ser tanto mais austera e rígida, quanto fluida e romântica, dependendo do shape. Uma dualidade que Marc explora o tempo todo, inclusive com a escolha de juntar uma modelo branca e loira com outra negra, vestindo looks com simetria em x, pretos e brancos.

As bolsas, sempre tão importantes quanto as roupas, também ganham o print quadriculado, resgatado do padrão Damier, clássico da Vuitton criado há mais de um século e ótima opção para substituir os monogramas.  “Depois do romance opulento da temporada anterior, foi bom dar um passo atrás.”, disse o estilista no backstage após o desfile, concluindo: “a pureza pode ser fria e sem emoção, mas também há algo de reconfortante sobre isso”.