Fotos: Getty Images
Fotos: Getty Images

Por Lucas Boccalão

O legado de Vivienne Westwood é o seu corte. Ela o desenvolveu durante toda sua carreira e é isso que caracteriza suas roupas. As assimetrias, o abotoamento que forma drapês e franzidos, pontas irregulares e, claro, a atitude excêntrica e essencialmente punk.

Para o inverno 2015, ela colhe elementos, prints e técnicas tribais do oriente e de alguns países africanos (onde inclusive é engajada em projetos sociais) e faz um crossover entre etnias e sua tradicional alfaiataria inglesa. Xadrez e listrados se misturam aos cetins de seus vestidos corseletados de perfume vitoriano, paletós de tecidos adamascados combinados a calças harem, por exemplo.

Definitivamente, um mix global para uma mulher sem medo de levantar bandeiras e com o passaporte muito carimbado. Na imagem acima, três looks selecionados por Bazaar da passarela da grife, em desfile realizado neste sábado (01.03), na semana de moda de Paris.