André-Carvalhal
André Carvalhal / Foto: Divulgação

Convidamos o consultor, designer e autor dos livros “A Moda Imita a Vida”, “Moda com Propósito” e “Viva o Fim”, André Carvalhal, para bater um papo sobre consumo sustentável, não somente no mundo da moda, mas abordando também diversos outros assuntos.

Já conhecendo um pouco do seu trabalho e lendo um de seus livros, fiquei impressionada com a leveza e conhecimento trocados durante a entrevista, até por acreditar em um mundo mais sustentável e levar diversas práticas ao meu dia a dia.

Consumo- Sustentável- Corpo
Consumo Sustentável / Foto: Unsplash

Com tudo que está acontecendo no mundo atualmente, como você enxerga o consumo da moda? Visando também que as pessoas estão cada vez mais exigentes.

Em relação ao consumo de moda, a pandemia está desvendando uma noção para nós de que as pessoas são diferentes e as necessidades são individuais. Não temos como prever, falar ou adivinhar como que vai ser o consumo ou como está sendo o consumo hoje, por estarmos percebendo cada vez mais que as necessidades são diferentes. De uma forma geral hoje, a sobrevivência é uma necessidade. Mas vejo que existe um potencial para que as pessoas comecem a repensar mais a importância e a necessidade do que elas estão consumindo. Sendo motivados pela crise financeira (desemprego, redução de salário) e expansão de consciência (natureza, consumo, impacto no meio ambiente). Acabo vendo isso como um cenário do presente para nós.

Práticas sustentáveis tem se tornado cada vez mais uma realidade na vida dos consumidores. Como essa mudança pode ser vista no futuro? Sendo que estamos vivenciando uma era muito mais voltada para o digital.

Eu acho que essas práticas vão ter mais possibilidade de se disseminarem. E vamos começar a entender que práticas sustentáveis estão relacionadas a um aspecto muito abrangente, por exemplo, consumir menos por falta de dinheiro, trocar ou pegar emprestado. O que precisamos ter certeza é de que não vão ser todas as pessoas vão participar ou viver isso.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Como você adota essas práticas sustentáveis ao seu dia a dia? São pequenas mudanças que você acredita que façam uma grande diferença?

Procuro no meu dia a dia transformar todas as coisas com as quais eu já tenha mais consciência. Eu acredito que esses pequenos gestos valem e eles tem haver em me alimentar de uma forma melhor, não consumir carne, organizar o meu lixo. Por mais que exista muita gente falando que essas pequenas atitudes elas não tem um impacto muito grande, pois na verdade o que precisa se transformar é o sistema como um todo, as grandes indústrias, grande produção e grandes empresas. Eu acredito que os nossos hábitos individuais vão se ampliando e se disseminando. Tudo o que foi feito no mundo de grande impacto, foi feito por uma pessoa só. A mudança de uma pessoa, ela é o início de tudo. Não podemos deixar de pensar também é que até mesmo nessas grandes empresas, indústrias, onde as necessidades de mudanças são mais criticais, essas empresas são feitas por pessoas, elas precisam primeiro se transformar individualmente.

Dentro de tudo que foi perguntado anteriormente, a falta de um posicionamento sustentável no mercado da moda acaba afetando a visão do consumidor na hora de adquirir um produto ou serviço?

Não só na industria da moda, mas no consumo como um todo. Nunca foi interessante que as pessoas pensassem ou questionassem o que está por trás das coisas que são feitas ou como as coisas são feitas. Porque se as pessoas tivessem essa consciência, de fato muita coisa não seria consumida, e prejudicaria o sistema como um todo.  Mas eu acho que a mudança está vindo pelo consumidor, pelos comunicadores e pela imprensa. Isso está de alguma forma estimulando que as marcas e o mercado como um todo tragam mais esse debate, não só sendo estimulados a se transformar, a adotar melhores práticas, como a falar sobre tudo isso. Eu acho que é um processo que vai se retroalimentando e contribuindo cada vez mais com essa expansão de consciência.

Como você avalia o consumo do futuro?

Eu acho difícil falar sobre consumo no futuro, principalmente no momento em que estamos vivendo agora, onde não temos certeza se vai ter futuro. A discussão sobre o tema está cada vez mais difícil, só é possível hoje ser previsto através de um número de incontáveis possibilidades e variáveis que combinadas e recombinadas fazem com que seja realmente difícil prever. Então eu não acho que a gente deva inclusive se preocupar com isso, eu tenho me preocupado mais hoje de como vai ser o consumo no presente, como hoje podemos continuar produzindo e consumindo de forma mais harmônica pro planeta e para as pessoas, e que a gente possa melhorar todo o sistema e as coisas que conhecemos hoje.