Chocolate manipulado é a nova mania, vem conehcer - foto: Harper's Bazaar
Chocolate manipulado é a nova mania, vem conehcer – foto: Harper’s Bazaar/Roberto Cecato

Por Vânia Goy

Produtos sem lactose, sem açúcar, sem carboidratos. Parece que tudo o que é gostoso está saindo da nossa alimentação. Mas a nova tendência saudável – que bom! – é uma delícia. E o melhor: de chocolate. O que chamamos de chocolate do bem tem fórmulas com até 70% de cacau, sem lactose, pouca gordura, é enriquecido com ingredientes naturais e, sonho que parecia impossível, gosto muito similar ao “verdadeiro”.

“Sabemos que pouco adianta proibir o consumo de chocolate. É melhor que as pacientes comam, todos os dias, uma porção saudável do que uma caixa de bombons no fim de semana”, diz a nutricionista funcional Gabriela Pereira, da Sett Coaching + Nandi Hair & Spa, que desenvolveu, em parceria com a farmácia de manipulação Almofariz, duas versões do doce.

O Chocoday tem polifenóis de cranberry, com poderes anti-inflamatórios, carboidrato d-ribose, para dar energia, fibras e 50% de cacau. “Indico a quem precisa de estímulo para malhar”, explica. A versão “noturna”, Choconight, contém lactium, substância extraída do leite, sem lactose, que relaxa o organismo. “Perfeito para beliscar depois do jantar.”

Consumir cacau não é o problema. “Ele é um potente antioxidante e tem mais flavonoides do que o vinho tinto”, explica a médica nutróloga Cristiane Coelho. É essa substância que varre os radicais-livres do corpo. Ela, inclusive, manda manipular chocolates para algumas pacientes. “Geralmente, prescrevo fórmulas com 70% de cacau orgânico, sem açúcar nem lactose e ingredientes naturais que diminuem a vontade de comer doces”, revela. A vantagem de consumir alto teor de cacau é que, fatalmente, você vai saborear porções menores. “O primeiro tablete é delicioso, o terceiro já é amargo demais, justamente para frear o consumo.”

Na colher
Versões cremosas ajudam a deixar o pote de Nutella longe. “Eu amo doces e como uma porção de chocolate do bem todos os dias”, revela Carol Buffara, que comanda a multimarcas carioca Nag Nag e mantém uma conta no Instagram com dicas para pegar pesado na malhação e não sair da linha. “Entre os meus favoritos estão o ganache de chocolate do Le Manjue Bistrô e a pasta de avelã da Monama Orgânicos”, entrega Carol. O primeiro, criado pelo chef Renato Caleffi, leva chocolate belga, leite de coco, biomassa de banana verde e água. A receita da Monama tem nibs de cacau (granulado da amêndoa da fruta), avelã, farinha de arroz e açúcar mascavo. “Combino uma colherada com panqueca de whey protein ou banana, pela manhã. Ganho energia e gasto as calorias treinando em seguida”, diz Carol.

Outro sucesso, a Pasta do Super-Homem, vendida no estúdio paulistano My Yoga, engana à primeira vista. Aparentemente, a combinação de tahine, cacau e agave não soa deliciosa, mas, acredite, é sim. “O tahine é neutro, e não salgado”, diz Roberta Borges, gerente do espaço.

Na prateleira
Barrinhas prontas são mais fáceis de encontar e carregar. Os chocolates Amma contêm açúcar, mas são à base de cacau orgânico (75% ou 85%), ricos em ferro, cálcio, e substâncias que aceleram o metabolismo. Os deliciosos ursinhos Chocobeauty, criados por Cristiana Arcangeli para a Beauty’In, têm colágeno e fibras, para deixar a pele mais firme e seu estômago satisfeito. Cada unidade tem, em média, 12 calorias. E Cristiana adianta que uma versão com chia deve chegar ao mercado em um mês.

Outra boa novidade é a chocolateria-gourmet La Nuit, que acaba de abrir as portas no shopping JK Iguatemi, em São Paulo, sob o comando de Ricardo Almeida, Karina Tavares e Andreza Schneider. O trio criou as barrinhas Sem Culpa, livres de lactose, glúten e com 27% menos calorias. Já o Chocolift, da Essential Nutrition, é a melhor pedida para quem toma proteína para malhar. Ele mistura chocolate, whey protein, e fibras – e nada de glúten, açúcar ou gordura trans.

Portanto, chocólatras, há luz no fim do túnel. Só não vale exagerar. Anote aí: 25g diários de chocolate com 70% de cacau é o máximo recomendado por experts para o ponteiro da balança não subir.

Assine a Harper’s Bazaar