Foto: reprodução/Harper`s Bazaar
Foto: reprodução/Harper`s Bazaar

Por Júlia Tibério

Fazer dieta engorda. A conclusão é de Sandra Aamodt, neurocientista americana que, ao apresentar sua palestra no TEDGlobal de janeiro de 2014, mostrou que fazer dietas, em 90% dos casos, significa ganhar peso nos anos seguintes. Outra constatação importantíssima de Sandra: uma pessoa acima do peso que mantém hábitos saudáveis tem exatamente os mesmos riscos de morte por problemas de saúde do que uma pessoa magra.

Sandra apoia-se na descoberta de que, quando chegamos à idade adulta, o corpo define uma espécie de set point, como ela chama. Isso seria o peso considerado “normal” pelo seu cérebro – que vai passar a vida fazendo todo o esforço necessário para te manter naquele peso. “É como um termostato”, diz ela. “Se ele está programado para uma certa temperatura, se você abrir a janela no inverno ele vai bombar o aquecimento para manter o ambiente aquecido.”

Conclusão: quanto mais dieta fazemos, mais nosso cérebro trabalha para voltar ao peso original. “Quando emagrecemos, o corpo encara o processo como uma agressão e responde aumentando a produção de gordura (lipogênese) e diminuindo a queima (lipólise)”, explica Filippo Pedrinola, endocrinologista paulista.

Esse processo desencadeia outro, que é a perda de massa muscular. “O problema é que, quando perdemos massa magra, perdemos também as mitocôndrias, células responsáveis pelo nosso metabolismo, o que dificulta o processo e retarda ainda mais o emagrecimento”, afirma.

Ainda segundo Sandra, 50% das pessoas que fazem dieta voltam ao peso original em até cinco anos. Outros 40% chegam a engordar mais do que o peso original. Ou seja, fazendo dieta, você tem 90% de chance de engordar novamente.

Quer saber mais sobre o assunto? Leia na Bazaar de abril, que está nas bancas!