Foto: Patrícia Bonaldi
Foto: Patrícia Bonaldi

O cerrado é um paraíso natural, cheio de pequenos tesouros pouco conhecidos dos brasileiros. São mais de 13 mil espécies de plantas e 4,7 mil espécies de animais, entre peixes, anfíbios, répteis, pássaros e mamíferos. Para quem deseja redescobrir o cerrado, Patricia Bonaldi dá dicas para uma viagem de luxo sustentável.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Experiências
Desde caminhadas pelo Parque Nacional Grande Sertão Veredas, passeios de caiaque ou barco a motor na lagoa onde está a nascente do Rio Formoso e observação de estrelas. E, aos que buscam uma experiência mais radical, a dica é subir em uma mountain bike e explorar os terrenos arenosos da savana brasileira. Trilhas de extensões crescentes – incluindo um passeio até o marco da divisa entre os três estados – fazem do cerrado o ambiente perfeito para uma pedalada com adrenalina.

Foto: Patrícia Bonaldi
Foto: Patrícia Bonaldi

Vida Selvagem

Foto: Patrícia Bonaldi
Foto: Patrícia Bonaldi

Para os interessados pela vida selvagem, o cerrado é um paraíso. Podem ser encontradas mais de 210 espécies de aves, muitas delas notáveis por sua raridade. Através da experiência “Passarinhar”, os visitantes são convidados a buscar e identificar as diferentes espécies de aves em seus habitats naturais. O safári noturno é a grande oportunidade de presenciar todo o mistério do cerrado durante a noite e com um pouco de sorte observar animais como a raposinha-do-campo ou o jacaré-anão – veja, ele é o menor do mundo. A visita acompanhada por monitores ao criadouro conservacionista, passando pelo berçário dos jabutis, é uma experiência educativa inesquecível para as crianças.

Gastronomia

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A obra de Guimarães Rosa descreve o hábito do sertanejo de “cozinha de fora” e “cozinha de dentro”. Na “cozinha de fora”, os viajantes se reuniam nas varandas e ambientes externos para compartilharem as refeições. Na “cozinha de dentro”, eram convidados a adentrar as casas das pessoas, sentando-se à mesa.

A Pousada Trijunção oferece a seus hóspedes a mesma experiência relatada por Guimarães. Churrascos, piqueniques e cafés da manhã nas veredas, eventualmente ao som de violeiros, caracterizam-se como “cozinha de fora”. Com itens da gastronomia tradicional do cerrado, frutas diversas da região, bolos com sementes e castanhas típicas, o café da manhã é um grande destaque da pousada. Na Trijunção, não há preocupação com horários: para a conveniência e o conforto do hóspede, a primeira refeição do dia pode ser servida a qualquer hora.

No restaurante privativo – a “cozinha de dentro” – são servidas as refeições em buffet ou à la carte. O carro chefe é o bobó de camarão com farofa de pequi e arroz de ora pro nóbis, que resume a gastronomia dos três estados que se encontram na Trijunção.

Onde ficar

Foto: Patricia Bonaldi
Foto: Patricia Bonaldi

Para receber com todo o conforto e luxo os amantes do ecoturismo, mas sem perder a autenticidade, a Pousada Trijunção foi construída usando materiais autênticos do cerrado, valorizando o artesanato local para a decoração e utilizando energia solar. Almofadas adornadas com frases de “Grande Sertão: Veredas”, obra-prima de Guimarães Rosa que retrata os cenários e as riquezas do cerrado, reforçam ao hóspede a importância geográfica, biológica e cultural da região.

Para garantir a exclusividade, a pousada conta com apenas sete suítes: uma suíte master com sala de estar, duas varandas e banheiro com ofurô; três suítes premium com quarto e sala de estar, e três suítes standard. Todas as acomodações são equipadas com uma cama king size forrada com lençóis 600 fios. Entre as comodidades, estão toalhas e roupões Trousseau, amenities Natura, ar condicionado, TV à cabo, cofre, frigobar e secador de cabelo.

Tão presente em “Grande Sertão” e em tantos outros livros de Guimarães, a natureza do cerrado se apresenta sem pressa para quem visita a Trijunção. Como Diadorim mostrando a Riobaldo a beleza dos animais e das plantas do sertão mineiro, a Trijunção guia o olhar do visitante para os detalhes das paisagens, a beleza rústica da flora e os tesouros guardados na natureza.

Como chegar
Trijunção está localizada no coração do cerrado, a 388 km de Brasília e 45 km de Mambaí, município do estado de Goiás. A fazenda conta com uma pista de pouso para aviões de pequeno porte, mas os hóspedes que optarem por voo comercial podem pousar em Brasília e então se deslocar de carro até a Trijunção.

Leia mais:
Heidi Klum usa look de estilista brasileira
10 looks que amamos do verão 2020 da PatBo
Amarre-se: os cintos são as estrelas do verão 2020